Assembleia de Valongo aprovou empréstimos de 14,4 milhões de euros

0
156
Presidente Câmara Valongo_Foto CMV

Os empréstimos destinam-se à construção da Casa da Democracia Local e a várias obras no concelho de Valongo.

Foi aprovada, em Assembleia Municipal, a adjudicação de dois empréstimos de médio e longo prazo pelo município até 14,4 milhões de euros. Um, até 10,5 milhões de euros, destina-se ao financiamento da construção da Casa da Democracia Local, o outro, de 3,9 milhões de euros, destina-se a várias obras previstas no concelho.

O empréstimo de maior montante, destinado ao edifício da nova Câmara de Valongo, foi aprovado com 21 votos a favor, do PS, CDS e presidentes de junta, oito votos contra do PSD e do Bloco de Esquerda e duas abstenções da CDU.

O PSD explicou em declaração de voto que concorda com a construção do edifício, mas não com a metodologia utilizada pelo PS e o facto de não ter envolvido os partidos da oposição no projeto, faltando, assim, transparência no processo.

O Bloco de Esquerda reconheceu a necessidade de um novo edifício que melhore a eficiência do serviço autárquico para os trabalhadores e população em geral e a criação de uma nova centralidade em Valongo, embora defenda que, com a crise que se antevê, o processo devia ser adiado, pelo menos, um ano.

O segundo empréstimo, de 3,9 milhões de euros, que será usado para a realização de várias obras, como a construção do parque de estacionamento do cemitério de Valongo, o Parque do Leça, em Alfena, o circuito pedonal do Rio Ferreira, a piscina na Quinta do Passal e o Mercado de Ermesinde, assim como investimentos em várias ruas, foi aprovado apenas com a abstenção do Bloco de Esquerda, que defendeu a necessidade de investimento noutras áreas, como habitação e mobilidade.

O PSD votou a favor por se tratar de obras ambicionadas há muito pelos valonguenses, mas que o PS havia “metido na gaveta”.