Cientistas já trabalham num tratamento que dá imunidade instantânea à Covid19

0
222
Covid19

Investigadores britânicos estão a testar um novo medicamento que, a cumprir as expectativas, será capaz de impedir que uma pessoa exposta ao coronavírus desenvolva a Covid-19.

Imagine-se o cenário: um elemento do agregado familiar fica infetado. Apesar dos numerosos casos destes que não resultam no contágio de todos os elementos da casa, este é, sem dúvida um contacto de alto risco. E se um medicamento puder garantir que não ficam infetados? E se puder ser aplicado para travar surtos em hospitais, lares, residências universitárias? É este o plano de um grupo de cientistas britânicos que está a testar tratamento que pode impedir alguém que esteve exposto ao SARS-CoV-2 de desenvolver a doença.

Trata-se de um cocktail de anticorpos monoclonais (não os produzidos pelo organismo de um infetado mas sim em laboratório) que, a resultar, conferirá uma espécie de imunidade instantânea para ser usada como tratamento de emergência (válido para uma exposição nos oito dias anteriores) e que poderá prolongar-se durante seis a 12 meses.

O medicamento foi desenvolvido pela University College London Hospitals NHS Foundation Trust (UCLH) e pela empresa AstraZeneca, a mesma farmacêutica responsável pela produção de uma das vacina contra a Covid-19, em parceria com a Universidade de Oxford.