Cinco profissionais de saúde são agredidos por dia

0
206
Imagem Canva

Até o mês de Março foram registadas mais 500 ocorrências em centros de saúde e hospitais. Os profissionais de saúde são ameaçados e injuriados fisicamente e através das redes sociais. A falta de resposta caracteriza-se como um dos principais motivos.

Diariamente são agredidos em média mais de 5 profissionais de saúde por parte dos utentes. Nos primeiros meses do ano foram registadas cerca de 500 agressões nos serviços de saúde público e privado. Este número assemelha-se ao registado em todo o ano de 2017 e a metade dos casos reportados no ano passado (2019).

De 1 de janeiro até 31 de março, quase 50 ocorrências (11% do total) incluíram violência física, sendo que a maior parte consistiu em agressão psicológica. As redes sociais têm permitido aos utentes encontrarem os profissionais de saúde e procederem às ameaças e injúrias.

Para combater a situação, o Governo afirma que está a reforçar o apoio às vítimas, através de um atendimento específico na linha SNS24. Com a pressão causada pela pandemia ao SNS, teme-se que estes números de agressão e injúria possam subir, consequência dos atrasos na capacidade de resposta dos centros de saúde e pelos atrasos nas respostas.

Perante este cenário transversal, que vai desde os centros de saúde até às unidades hospitalares, o Governo garante que está a reforçar o apoio aos agredidos, onde se conta um atendimento específico na linha telefónica SNS24.

Com o Serviço Nacional de Saúde (SNS) sob pressão devido à pandemia, as associações profissionais do setor alertam para um aumento da violência causado pela frustração dos utentes pelos atrasos na resposta e pedem medidas mais musculadas e imediatas (ler coluna ao lado).