Comunistas da Póvoa, Vila e Matosinhos questionam governo sobre surto da leggionella

0
117
imagem SNS

Em comunicado assinado pelas concelhias do PCP de Póvoa de Varzim, Vila do Conde e Matosinhos, os comunistas expressaram, este domingo, “a sua solidariedade às populações destes três concelhos, em particular às vítimas e familiares do surto de Legionella”.

Na nota, é explicado que o Grupo Parlamentar do PCP já dirigiu uma pergunta ao governo a questionar de que forma está o executivo a acompanhar o surto, “que informações tem sobre a origem do mesmo e que medidas estão a ser tomadas para o rastreamento de possíveis infeções e prevenção das mesmas”.

O comunicado sublinha ainda que “o PCP tem vindo a acompanhar a evolução deste surto e, compreendendo o facto de não haver ainda conhecimento suficiente por parte das autoridades de saúde sobre a sua origem, o mesmo não pode significar que não se tomem medidas preventivas para conter esta grave situação”.

Para o PCP “o Serviço Nacional de Saúde tem de assegurar os meios necessários para responder a esta situação, mesmo tendo em conta o surto epidémico que o país atravessa”.

No documento, os comunistas concluem que “é possível evitar que possam surgir novos casos e, para tal, não se pode deixar de ter em conta experiências de casos anteriores no país, e tendo em conta que há análises cujos resultados são ainda desconhecidos, há simples medidas que podem ser tomadas”.

Sugerem, por exemplo, o reforço de cloro na água para abastecimento público, o encerramento de torres de refrigeração de algumas empresas, a suspensão de atividades nos equipamentos desportivos, o apelo à população para desinfeção de chuveiros de suas casas, a não exposição a vapores, entre outras.