Covid-19: Costa agradece apoio de equipas do Luxemburgo e França e aponta “progressos”

0
208
António Costa_Foto Rodrigo Antunes Agência Lusa
- Publicidade -

O primeiro-ministro agradeceu o apoio das equipas luxemburguesa e francesa que chegaram este domingo a Portugal para apoiar no combate à covid-19, e defendeu que tem havido “progressos”, com “redução significativa” de novos casos e internados.

“Os progressos no combate à pandemia nas últimas semanas têm sido importantes, com a redução significativa do número de novos casos, de internados e de internados em unidades de cuidados intensivos”, escreveu António Costa, numa publicação na rede social Twitter.

O primeiro-ministro defendeu que o país tem de “persistir para conseguir reduzir ainda mais a incidência da pandemia”, ao mesmo tempo que reforça “o esforço de vacinação para criar imunidade”.

“Agradeço o apoio das equipas luxemburguesa e francesa que hoje |domingo| chegaram a Portugal e que vão apoiar os nossos profissionais de saúde neste combate”, acrescenta o chefe do Governo português.

O Ministério da Saúde anunciou na quinta-feira que Portugal iria receber duas equipas médicas da França e do Luxemburgo, que classificou como um “importante apoio” no tratamento de doentes de covid-19 em hospitais com elevada pressão de cuidados intensivos.

Segundo a mesma fonte, a equipa do Luxemburgo, constituída por dois médicos e dois enfermeiros, vai apoiar o serviço de medicina intensiva do Hospital do Espírito Santo de Évora, enquanto o médico e os três profissionais de enfermagem franceses vão trabalhar no Hospital Garcia de Orta, em Almada, prevendo-se uma estadia de 15 dias.

Além destas duas equipas, já está em Portugal uma equipa médica militar alemã que começou a tratar os primeiros pacientes na segunda-feira.

Constituída por 26 profissionais de saúde, entre os quais seis médicos, que trouxeram também 40 ventiladores móveis e 10 estacionários, 150 bombas de infusão e outras tantas camas hospitalares, a equipa de militares germânicos chegou a Portugal a 3 de fevereiro e ficou instalada no Hospital da Luz, em Lisboa.

- Publicidade -