Covid-19: Prémio Nobel de 2020 entregue nos países dos laureados

0
152
imagem wikipedia

O Comité Nobel decidiu este ano, devido à pandemia de covid-19, entregar os Prémio Nobel de 2020 aos vencedores nos países onde residem, a começar pela americana Louise Glück (literatura) e pela francesa Emmanuelle Charpentier (química).

A cerimónia de entrega dos galardões realiza-se habitualmente no dia 10 de dezembro, aniversário da morte do fundador do prémio, o sueco Alfred Nobel.

Apesar da pandemia, os vencedores dos seis prémios (paz em Oslo, literatura, medicina, física, química e economia em Estocolmo) foram nomeados em outubro.

Mas as cerimónias de entrega do galardão foram transformadas em eventos online, sem que os vencedores estejam presentes nas duas capitais nórdicas.

De acordo com o programa da Fundação Nobel, Emmanuelle Charpentier, co-vencedora do prémio de química, seria a primeira a receber a sua medalha e diploma na noite de segunda-feira das mãos do embaixador sueco em Berlim, onde mora e trabalha.

Mas a fundação anunciou na segunda-feira que a vencedora do Prémio Nobel de Literatura, a poetisa Louise Glück, tinha recebido os seus prémios no domingo em sua casa, em Massachusetts (EUA).

O britânico Michael Houghton (medicina) da Universidade de Alberta, no Canadá, também recebeu o galardão na segunda-feira em sua casa, perto de São Francisco, Califórnia (EUA), disse a fundação.

Ontem, na Europa, Roger Penrose (físico) recebeu seu prémio em Londres (Inglaterra) e Reinhard Genzel (físico), em Munique (Alemanha).

Do outro lado do Atlântico, Harvey Alter (medicina) foi recompensado em Washington e Charles Rice (medicina) em Nova York, Paul Milgrom (economia) e Robert Wilson (economia) em Palo Alto, e Jennifer Doudna (química) na Califórnia.

Andrea Ghez (física) receberá a sua medalha e diploma esta quarta-feira, em Los Angeles.

O Prémio Nobel da Paz será entregue na quinta-feira, em Roma, ao diretor executivo do Programa Alimentar Mundial (PMA), David Beasley, durante uma cerimónia transmitida online de Oslo e da capital italiana, onde a organização da ONU está baseada.

Em Estocolmo, uma cerimónia sem público acontecerá na tarde de quinta-feira na Câmara Municipal, incluindo um concerto e imagens da cerimónia de entrega de prémios.

Na capital sueca, a ausência de todos os premiados no dia 10 de dezembro não tem precedentes desde a Segunda Guerra Mundial.