Ecocentros móveis em Vila do Conde

0
170
foto DR
- Publicidade -

O município de Vila do Conde, tem desde esta terça-feira dois ecocentros móveis que vão circular por todo o concelho, para recolher resíduos variados que não devem ser colocados nos ecopontos mais comuns.

O projeto, feito em parceira com a LIPOR (empresa intermunicipal de Gestão de Resíduos do Grande Porto), destina-se a recolher CD’s ou DVD’s, pequenos equipamentos eletrónicos, lâmpadas, pilhas, baterias, tinteiros ou rolhas de cortiça, que não devem ser colocados nos postos e recolha de papel, vidro ou plástico.

Os dois equipamentos, que pretendem promover uma separação mais eficaz dos resíduos, vão estar, em simultâneo, em diferentes freguesias de Vila do Conde, segundo um calendário que será divulgado pela Câmara Municipal nas suas plataformas de comunicação com os munícipes.

“Com estes ecopontos móveis queremos passar a mensagem que também há solução para este tipo de resíduos, que por vezes geram dúvidas. Basta que os guardemos em casa e na data prevista se entregue para recolha nos locais afixados”, explicou a presidente da Câmara de Vila do Conde, Elisa Ferraz.
A autarca lembrou que há “uma diversidade de materiais que podem ser reciclados”, apontando que todos podem contribuir para “uma separação mais diversificada e que é decisiva para sustentabilidade o planeta”.

“Sinto que para a separação do vidro, plástico e papel já todos estamos sensibilizados, mas há outras resíduos que não sabemos onde meter e acabam no caixote dos indiferenciados. Com estes dois ecopontos móveis estamos a facilitar a prática da reciclagem aos vila-condenses e potenciar a economia circular”, completou.

Elisa Ferraz divulgou, ainda, que o sistema de recolha de resíduos “porta-a-porta”, que já está implementado em algumas zonas de Vila do Conde para recolha de vidro, plástico, papel e indiferenciados, “será alargado a toda cidade, dada a boa aceitação que tem tido”.

O sistema dos ecopontos móveis, promovido pela LIPOR, está a ser implementado na Área Metropolitana do Porto desde janeiro deste ano, abrangendo os municípios de Matosinhos, Gondomar, Maia, Póvoa do Varzim, Valongo, Espinho e Porto.

- Publicidade -