Liga alerta: Bombeiros em Risco

0
124
imagem de arquivo

O Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) analisou hoje o momento vivido pelas Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários (AHB), enquanto entidades detentoras de Corpos de Bombeiros, face à situação financeira existente e concluiu que estas estão à beira do colapso, pelos encargos que têm assumido com a aquisição de Equipamentos de Proteção Individual para proteção do pessoal no transporte de doentes de COVID-19.

Com efeito, segundo o Presidente da LBP, “os elevados custos que têm sido suportados pelas Associações desde o início da pandemia, na ordem de muitos milhares de euros em cada Associação, e a consequente perda de faturação em transporte de doentes não urgentes, tem potencialmente criado as condições de perda financeira clara e objetiva”.

Estas situações, conforme sublinha o Comandante Jaime Marta Soares, “a par da falta de compensação financeira por parte do Ministério da Saúde, que não tem ajustado o necessário acréscimo de custos dos EPI, bem como na evacuação de lares de 3.ª idade, e que ninguém quer assumir o pagamento, resultam num descalabro financeiro que dificilmente as AHB conseguirão manter, e por isso colocam em perigo a manutenção dos Corpos de Bombeiros”.

O apoio financeiro às AHB votado na Assembleia da República, através da Lei n.º 2/2020, com a criação de um Fundo de Emergência, pode ser um alento nas frágeis finanças das AHB, estando já no horizonte um ano ainda mais difícil, com o fraco financiamento proposto pelo Governo no Orçamento de Estado para 2021.

A ir por diante esta proposta, segundo o Presidente da LBP, “o Governo está a “cavar a sepultura”, das Associações e consequentemente dos Corpos de Bombeiros e dos Bombeiros Voluntários, sem alternativa, deixando Portugal e os Portugueses à sua sorte”.

Face a este quadro negro que a situação apresenta, o Conselho Executivo da LBP manifesta a sua total solidariedade para com as Associações, seus Dirigentes, Comandos e Bombeiros e manifesta ao Governo o seu total desconforto perante esta realidade, ou seja, perante a falta de resposta positiva dos vários Ministérios, nomeadamente Administração Interna, Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, e sobretudo, do Ministério da Saúde.

A não ser alterada a proposta do Governo para o Orçamento de Estado 2021 no que respeita ao financiamento às AHB, em pouco tempo estará em causa o socorro às populações, assegurado pelos Bombeiros Portugueses.