Mais de 6 mil pessoas entraram numa lista de espera para comprar um skate elétrico português

0
148
Foto revista Input

A ficção de “Back to The Future” torna-se realidade? Pelo menos aproxima-se…

Com um sistema de suspensão único, estes skates elétricos conseguem ir “mais longe e mais rápido, sem o desconforto da vibração do chão”. A assinatura é portuguesa, mas já têm clientes pelo mundo.

A Hunter Boards trouxe a solução portuguesa para o mercado do skate, a pensar nas ruas portuguesas com a caraterísticas calçada. Este skate elétrico permite navegar confortavelmente pelas ruas sem se preocupar com buracos, pedras da calçada, um pequeno degrau ou até uma tampa de esgoto, tornando as quedas mais improváveis.

“O produto está a ser desenvolvido há cerca de três anos e tem sido uma trabalheira infernal. Tenho de admitir que por vezes me perguntei “será que vamos conseguir?”. Mas, de facto, conseguimos”, contou o CEO da Hunter Boards, Pedro Andrade.

A empresa é uma startup de tecnologia de mobilidade, que construiu o primeiro skate elétrico do mundo capaz de manter os utilizadores estáveis independentemente da velocidade. Como é que é possível? Através do sistema de suspensão desenvolvido e patenteado pela empresa. A ideia surgiu quando Miguel Morgado, sócio de Pedro Andrade, estava a desenvolver uma mota elétrica de competição e precisava de testar os componentes elétricos numa escala mais pequena.

Até o final de 2020, a empresa tinha em lista de 6 mil pessoas interessadas, tendo o compromisso de entregar os primeiros 50 skates. Para 2021, o objetivo é continuar a crescer e vender cerca de 1000 skates.

A Hunter Boards quer apostar especialmente no mercado dos Estados Unidos, onde está a maioria dos clientes – a julgar pela lista de espera em 74% eram americanos (contra 2% portugueses).