Portugal quer vacinar 50 mil pessoas por dia

0
225
Vacina - Canva

O coordenador do Plano Nacional de Vacinação anteviu na quarta-feira que, em princípio, as primeiras vacinas contra a covid-19 começarão a ser administradas à população de risco no início de janeiro, um ou dois dias após chegarem a Portugal.

Ao programa “Grande Entrevista”, da RTP, Francisco Ramos afirmou que o objetivo é vacinar 50 mil pessoas por dia nos centros de saúde sem pôr em causa o funcionamento destas unidades de saúde.

Francisco Ramos mostrou-se convicto de que, a 29 de dezembro, a União Europeia dará parecer positivo para a distribuição de vacinas aos países-membros, admitindo que a “grande dúvida é a quantidade” de vacinas que irão chegar a Portugal, havendo a previsão do acesso nacional da 1,5 milhões de vacinas da farmacêutica Pfizer no primeiro trimestre de 2021.

Segundo explicou, está previsto que chegará um lote em janeiro e outro lote em fevereiro (todas das Pzifer), estimando-se que só em meados de janeiro deverá ser tomada uma decisão das autoridades de saúde sobre a avaliação final e aceitação da vacina da Moderna.

Se tudo correr bem, Francisco Ramos admitiu que ainda em janeiro será também possível ter acesso a vacinas dessas empresas farmacêuticas, alertando contudo que existe alguma “incerteza” citando que, por exemplo, ainda não há data para apreciação da vacina da AstraZeneca, embora exista “esperança” que haja uma decisão em janeiro ou fevereiro.

“É o melhor cenário, mas há ainda incerteza, nomeadamente quanto à quantidade” de vacinas disponíveis”, disse, reiterando ter confiança que em fevereiro se espera ter a vacina da Oxford/AstraZeneca.