PSD questionou governo sobre apoios à TAP, Novo Banco e empresas

0
125
foto DR
- Publicidade -

Afonso Oliveira, deputado do PSD eleito pelo Porto, interpelou o ministro de Estado e das Finanças sobre os apoios do Estado à TAP, Novo Banco e às empresas.

Na audição do governante no Parlamento, esta terça-feira, Afonso Oliveira começou por recordar que o negócio da venda do Novo Banco foi feito pelo Governo socialista e que, apesar do Fundo de Resolução já ter colocado no banco 3 mil milhões de euros, o presidente do Novo Banco já veio reclamar o pagamento de mais 598 milhões de euros. Com o próprio Fundo de Resolução a levantar dúvidas sobre este pagamento, o vice-presidente da bancada do PSD quis saber qual a posição do Governo e se considera esse valor adequado.

No que respeita à TAP, outro tema que “preocupa os portugueses”, fruto da opção socialista de nacionalizar a empresa, Afonso Oliveira quis saber se o ministro das Finanças se sente confortável com a decisão de colocar 3,7 mil milhões de euros na empresa sem que exista uma garantia que este valor seja suficiente para resolver os problemas da empresa e para a salvar. O deputado assinalou a falta de transparência no processo de reestruturação da empresa e questionou ao governante quais os riscos para os contribuintes portugueses deste processo.

Na segunda intervenção, Afonso Oliveira quis saber a posição do Governo em relação ao fim das moratórias de crédito bancário, um tema que preocupa muito o PSD. O deputado lamenta a narrativa otimista do Executivo, “de que fez tudo bem no combate à pandemia”. “O Governo tem uma narrativa permanente de afirmar que a taxa de desemprego é baixa, e bem, mas isto não chega. Temos um problema nas empresas, de excesso de endividamento, de falta de capitalização (…). O Governo não está a dar resposta”, sublinhou.

- Publicidade -