Sindicato prolonga greve nacional na educação pelo menos até 19 de fevereiro

0
164
imagem de arquivo
- Publicidade -

O Sindicato de Todos os Professores (S.T.O.P.) anunciou o prolongamento, durante a semana, da greve nacional de profissionais de educação, convocada para proteger a comunidade escolar do risco de covid-19 por falta de condições de proteção.

Atribuindo à “irresponsabilidade do Governo” a explicação para o prolongamento da greve entre 15 e 19 de fevereiro, o sindicato afirma que não estão garantidas condições de segurança para profissionais e alunos que estão nas escolas de acolhimento, enumerando falta de acrílicos de separação entre alunos e entre alunos e professor e falta de testes de diagnóstico, criticando ainda a exclusão dos profissionais das escolas dos grupos de vacinação prioritários.

“Esta greve nacional de 15 a 19 de fevereiro, além de pressionar o governo a melhorar as condições, continuará a permitir que os Profissionais de Educação que sintam a sua saúde/vida em risco a possam salvaguardar”, escreve o S.T.O.P. em nota ontem divulgada, na qual admite que possa ser novamente prolongada.

A estrutura sindical aponta ainda a falta de meios, nomeadamente informáticos, para garantir condições para o ensino à distância.

- Publicidade -