Vacinação anti covid19 – primeira fase deverá prolongar-se até abril por falta de vacinas

0
107
imagem canva

O Presidente da República, o primeiro-ministro e os partidos reuniram hoje com epidemiologistas num momento em que o país se encontra em confinamento geral por causa da COVID-19.

De acordo com os especialistas reunidos, a primeira fase do plano de vacinação contra a COVID-19 deverá ser prolongada até abril por falta de vacinas.
Ainda assim, até setembro, 70% da população portuguesa será vacinada. No final da sessão do Infarmed, a ministra da Saúde revelou que o confinamento vai durar pelo menos até à segunda metade do mês de março.

As autoridades de saúde já enviaram 1.677 SMS com convocatória para a vacinação contra a COVID-19, revelou a ministra Marta Temido. Deste total, só 902 pessoas responderam “Sim”, o que corresponde a 53,8%. Quer isto dizer que os restantes 46,2% ou não deram resposta, ou responderam que não.

Entretanto, a DGS decidiu não recomendar a vacina da AstraZeneca para os maiores de 65 anos e incluiu a obrigatoriedade de existência de uma lista de pessoas a convocar para a vacina contra a COVID-19 no caso de sobrarem doses, sublinhando que deve ser sempre respeitada a ordem das prioridades.

O Governo espanhol prolongou as restrições nas fronteiras terrestres com Portugal, devido à pandemia, até 1 de março, de acordo com uma resolução publicada hoje no Boletim Oficial do Estado espanhol.

Numa altura em que as previsões apontam para que Portugal sofra, nos próximos dias, um aumento exponencial de internamentos em enfermaria e em UCI, a ajuda dos 26 profissionais de Saúde e militares alemães, que começaram ontem a tratar pacientes no Hospital da Luz, em Lisboa, trava mais pedidos de ajuda externa.