Variante britânica com prevalência de 80% em Portugal

0
136
imagem canva
- Publicidade -

João Paulo Gomes, do Instituto Ricardo Jorge, apresentou hoje na reunião do Infarmed os números relativos à incidência das variantes genéticas do vírus SARS-CoV-2.

Começando pela variante do Reino Unido, o especialista aponta que em Inglaterra esta variante representa já quase 100 por cento dos novos casos registados no país. “O mesmo vai acontecer com o resto dos países, será uma questão de tempo”, diz João Paulo Gomes.

Portugal está com um “crescimento acelerado desta variante, acima dos 50/60 por cento”. Concretamente, a prevalência está nos 70 por cento, mas o especialista ressalva que “a estimativa deve estar um pouco por baixo”, afirmando que os dados mais recentes apontam para uma prevalência desta variante em 80 por cento dos novos casos.

João Paulo Gomes acrescenta que “não é de estranhar” se em Portugal, assim como nos restantes países, esta variante represente 90 por cento dos novos casos.

Quanto à variante da África do Sul, foram até ao momento identificados 24 casos no nosso país, “o que podemos considerar um número relativamente modesto comparado com outros países”. João Paulo Gomes saliente a importância do controlo de fronteiras nesta altura.

Sobre a variante de Manaus, no Brasil, existem 16 casos identificados em Portugal, um número que está “perfeitamente dentro da média dos restantes dos outros países, muitos distante de Itália que tem 160 casos identificados”.

- Publicidade -