Opinião Maria Manuel Ramos: As políticas do Partido Socialista de Pedras Rubras em 2010

1
200

A Assembleia de Freguesia de Vila Nova da Telha de 21 de Junho foi deveras hilariante: parte dela foi passada a discutir um artigo escrito pela Secção de Pedras Rubras do Partido Socialista, relacionado com “As Novas Oportunidades”. O texto demonstrou ser tão bom que os deputados “Independentes” até tinham decorado parte dele e eram capazes de o descrever de uma forma exacta, palavra por palavra!
Chegaram à Secção do Partido Socialista de Pedras Rubras, reclamações de diversos alunos que frequentaram um curso na Junta de Freguesia que o PS denunciou, exactamente como os alunos o disseram, sem acrescentar nem alterar qualquer detalhe, obedecendo apenas à verdade.

A Secção do Partido Socialista de Pedras Rubras tem a dizer:
– O artigo sobre as “Novas Oportunidades” ou qualquer outro escrito por esta secção, não tem como objectivo ataques pessoais. O PS em Vila Nova da Telha, é oposição, logo tem um trabalho a realizar, representa um conjunto de Vilanovenses que não se revêem no actual executivo, faz oposição à política, defende as suas convicções, não faz política contra ninguém.
– O texto sobre as “Novas oportunidades” é um retrato fiel daquilo que os alunos nos disseram; nada foi inventado, acrescentado ou alterado.
– Nunca foi dito que o Sr. Presidente da Junta mentiu sobre este assunto. O que foi defendido é que a versão dos alunos era diferente e por isso foi dada a conhecer. Em abono da verdade o Sr. Presidente da Junta também não disse que a versão dos alunos continha mentiras.
– E mais importante de tudo foi o resultado deste trabalho: no dia seguinte à publicação do texto no Jornal, os alunos informaram a secção de Pedras Rubras do Partido Socialista de que as condições do curso tinham melhorado significativamente e foi com orgulho que no final do curso nos mostraram os diplomas do 9º ano. Ficamos felizes por estes alunos e por representarmos um partido que tornou possível melhorar o conhecimento dos nossos concidadãos.

Quem pareceu que gostou menos do texto foi o Sr. Deputado Ivo Pinheiro. Disse que achava estranho que os deputados Socialistas desconhecessem que os cursos “Novas Oportunidades” já existem há dois anos na Junta.
“Foi com surpresa que o PS Pedras Rubras tomou conhecimento de que foi celebrado um protocolo entre a Junta de Freguesia de Vila Nova da Telha e o Centro de Novas Oportunidades de Águas Santas, que se revelou para os 51 alunos que o frequentam, num verdadeiro curso de novos obstáculos”.
Percebeu-se logo que o Sr. Deputado não tem noção alguma da realidade actual: a surpresa dos socialistas foi relativa às reclamações dos alunos, e isso está bem explicito no texto.

Talvez inspirados pelas “Novas Oportunidades” o executivo da Junta de Freguesia, na pessoa do Sr. deputado Ivo Pinheiro, pretendeu “dar uma lição de política” à bancada do Partido Socialista. O PS Pedras Rubras não reconhece legitimidade ao Sr. Deputado para tal, até porque na minha opinião, faltam-lhe competências técnicas e comportamentais para formar deputados, com a exigência, que nós Socialistas, estamos habituados. Já percebemos que o Sr. Deputado considera que fazer politica é “juntar-se aqueles que estão no poder”, mas os deputados socialistas consideram que fazer politica é lutar com coragem pelas suas convicções.

– Foi muito sublinhado pelos “Independentes” o resultado das últimas eleições autárquicas; Independentes (1784 votos – 62.4%), PS (718 votos – 25.11%), PCP (180 votos – 6.3%). Todas as forças políticas aumentaram os votos em 2009 relativamente a 2005. Os resultados foram positivos para o PS e expectáveis. O que não consideramos normal é que numa cidade que tem o PSD na Câmara no poder há 30 anos, numa Junta que teve o PSD no poder mais de 20 anos, em 2010 o PSD não tenha tido coragem para apresentar uma candidatura à Junta de Freguesia. O Sr. Presidente da Câmara preferiu dar apoio a “uma candidatura independente” a apoiar uma candidatura do seu partido. Estranho! Falta de coragem politica? Falta de militantes capazes?

Certo é que o resultado eleitoral dos “Independentes” tem uma só leitura: foi necessário alguém acabar com o PSD Vila Nova da Telha, foi necessário o apoio do Presidente da Câmara da Maia aos “Independentes” para dar um resultado de maioria absoluta. As contas são fáceis de fazer, basta olharmos para os resultados de 2005: (Independentes 1100 votos, PSD/CDS 728 votos). Uma “coligação” para obter uma maioria absoluta, ao melhor estilo, “quando não conseguimos vencê-los, juntámo-nos a eles”.
– O PS Pedras Rubras está a desenvolver um trabalho em equipa alinhado com a Comissão Politica Concelhia da Maia, no sentido de criar políticas que se possam afirmar como soluções alternativas para a nossa cidade, em contraponto às políticas erradas da actual gestão camarária. O Dr. Hélder Ribeiro, Presidente da Comissão política do PS Maia, tem feito um excelente trabalho no sentido de orientar e fortalecer o posicionamento da concelhia, num projecto distrital e nacional. Tem mobilizado não só os militantes do PS, mas também a sociedade civil, as instituições e os jovens, para um projecto que quer uma Maia melhor, mais moderna, onde as pessoas possam trabalhar, viver e serem mais felizes.
– O PS Pedras Rubras está enquadrado nas políticas distritais do Partido Socialista e está totalmente solidário com a recandidatura de Renato Sampaio à presidência da federação distrital do Porto. Renato Sampaio é em primeiro lugar um político de valores: a lealdade, a ética, a igualdade de género, a liberdade como autonomia, os direitos responsáveis são valores que defendemos. É um político com grande capacidade de trabalho e uma verdadeira “voz do Norte”. É seu grande objectivo “a criação de um amplo movimento com outras forças politicas, instituições e cidadãos, liderando aquilo que deve ser um poderoso movimento cívico de afirmação regional. A regionalização é o único e melhor caminho para o nosso futuro colectivo e para o aumento dos níveis de coesão.”

Talvez nem todos saibam, mas, Renato Sampaio foi um pioneiro, ao trazer as questões do ambiente para o centro da política, numa altura em que em Portugal, poucos se preocupavam com este assunto. Nos anos 80, havia no Porto um pequeno núcleo de socialistas, formado por Bernardino Guimarães, Nuno Gomes Oliveira, Fernando Moreira e Renato Sampaio, que tinha criado um Centro de Estudos Ambientais. O tema Ambiente, que passaria a uma das “pastas políticas” mais importantes com a entrada do Eng. José Sócrates para ministro do ambiente, devido à verdadeira revolução nas políticas que este implementou, contou com a colaboração deste grupo do Porto. Um orgulho para o Porto e para o Norte.
– O Governo e o seu Secretário – Geral, Eng. José Sócrates, poderá sempre contar com o apoio leal e inequívoco do PS Pedras Rubras. Neste momento difícil para o país, só a união entre as pessoas e políticas concertadas com o governo poderão assegurar um futuro melhor para a nossa cidade, para o nosso distrito, para o nosso país. O Partido Socialista é governo com a legitimidade que o povo lhe deu, e deve ser defendido daqueles que têm sede de poder.
– Daqueles que não têm experiência, nem noção daquilo que é governar, que falam em ser “alternativa”, mas que só podem oferecer aos Portugueses o abismo. Muita retórica e pouco conteúdo.
– Daqueles que já foram governo e “afundaram o futuro de Portugal” e hoje querem o poder a qualquer preço.
– Duma esquerda que não passa de uma “aliança estratégica entre o espectáculo e a inveja por um lado e a mediocridade por outro”.
– Daqueles que querem enfraquecer a imagem do nosso líder, Eng. José Sócrates, substituindo-o por outro, “mais Seguro”.

Termino a lembrar que o Partido Socialista de José Sócrates ainda está aí para durar, com a legitimidade que o Povo Português lhe deu. Sei que muitos já ficariam satisfeitos em derrotar José Sócrates, mais ainda, do que ver o Partido Socialista perder eleições. Desengane-se quem pensa que os Portugueses são pouco inteligentes. “Eu governo para as futuras gerações, não governo para os números das eleições”, diz José Sócrates. No momento em que os Portugueses forem chamados a pronunciarem-se, vamos ver se escolhem o inexperiente e pouco consistente Pedro Passos Coelho ou o experiente, corajoso e firme José Sócrates.

Membro do Secretariado da CPC do PS Maia

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns ao PS de V.N. da Telha e, à autora do texto que está muito bem elaborado.
    Está visto que a verdade bem sempre ao de cima e, é digna quando vem ao encontro da razão e em defesa dos mais fracos (os alunos).
    Em meu entender, o artigo em… causa se não fez moça, ao poder local pelo menos colocou-o a meditar sobre o assunto e ter mais consciência em melhorar as suas atitudes.
    Bem haja o PS de V. N. da Telha pela sua frontalidade e critica construtiva.

Comments are closed.