Opinião Mário Nuno Neves: Sobre os Incêndios

0
189

Agosto termina com um balanço terrível do ponto de vista dos incêndios. O Verão de 2010 ficará como um dos mais dramáticos do ponto de vista de área ardida, facto a que não é alheio o intenso calor que se fez sentir.
No entanto, como todos sabemos, não é apenas às condições climatéricas que as causas dos incêndios podem ser exclusivamente assacadas. A incúria e o crime contribuem, em muito, para que este cenário de destruição se repita ano após ano.

No âmbito da incúria tanto cabe o cigarro mal apagado e lançado para a mata de forma irresponsável como os detritos que se acumulam por todo lado, bem assim como as queimadas indevidas e falta de limpeza das áreas florestadas, factor crescentemente agravado pelo crescente abandono da actividades agrícolas e afins.
O crime relacionado é multifacetado, tanto é causado por razões de ganância como por desequilíbrios mentais. A excessiva cobertura por parte da comunicação social, transformando, muitas vezes, os incêndios em espectáculos televisivos, contribuí para que muito maluco com ânsia de notoriedade se transforme em pirómano.

Se o País não tem condições para recuperar com consistência as actividades agrícolas, a forma mais inteligente de manter as áreas florestais limpas e com importância económica, tem que arranjar forma de encontrar outras soluções, nomeadamente pôr as forças armadas e a população prisional a limpar a floresta, bem assim como criar programas específicos para receptores de alguns subsídios de natureza social em que a contrapartida de cada um passasse pela participação em campanhas de limpeza e segurança das matas.

Por outro lado é imperioso a valorização dos Corpos dos Bombeiros, especialmente os de natureza voluntária que são compostos de heróis anónimos e dispostos a todos os sacrifícios. O Estado tem que encarar a formação e a dotação de meios técnicos e financeiros dos Bombeiros como uma prioridade nacional e encontrar mecanismos de reconhecimento social efectivo a toda essa boa gente que dá o “corpo ao manifesto” em condições de grande perigo físico e psicológico.
Enquanto cidadão maiato e Vereador aproveito esta oportunidade para agradecer aos Bombeiros Maiatos o seu trabalho constante e generoso e reconhecer o seu tremendo esforço em prol da segurança de todos nós. A Maia tem todas as razões para se orgulhar dos seus Bombeiros Voluntários, eles são, sem qualquer dúvida, dos melhores cidadãos que compõem a nossa comunidade. Bem Hajam.

Uma palavra para o Serviço Municipal de Protecção Civil e muito especialmente para o seu Corpo de Voluntários, uma palavra de gratidão e reconhecimento do seu esforço, uma palavra que estendo à Cruz Vermelha da Maia que também não pode ser esquecida. Obrigado.