Opinião: Octávio de Sousa e Silva – Maia e as suas Cinquenta Paróquias

0
187

Se ficou admirado devo dizer-lhe que também eu.
Saber que Alfena; S. Lourenço D’Asmes (Ermesinde); Paranhos; Labruge; Mindelo, entre muitas outras já foram paróquias da Maia, sem engano nenhum eram cinquenta as freguesias que compunham o “excelente Conselho da Comarca do Porto, com câmara, juízes, vereadores”, a câmara que fazia as suas sessões em S. Pedro de Fins.

Na Torre do Tombo ao estudar uns documentos de 1740, nos quais a pedido do rei dava-se informação sobre a Maia e as paróquias que estavam no seu termo. Encontrei entre eles duas folhas que falavam precisamente das cinquenta paróquias que nesse tempo compunham o nosso concelho.

Águas Santas; Alfena; Alvarelhos; Árvore; Aveleda; Avioso; S. Pedro de Avioso; Barca; Bougado (S. Martinho); Bougado (S. Tiago); Canidello; S. Romão do Coronado: S. Mamede do Coronado; Santa Cruz do Bispo; Covellas; S. Lourenço D’Asmes; Fazojes; Folgosa; Fornello; Gemunde; S. Gião: Golpilhares; Guetim; Guidões; Gueifães; Guilhabreu; Gondim; Labruge; Lavra; Maçarelos; Macieira; Milheirós; Mindelo; Modivas; Montemuro; Moreira; Mosteiro; Nogueira; Perafita; Paranhos; Retorta; Silva Escura; Tougues; Vairão; Valongo; Vermoim; Vila S. Mamede; Vila Nova da Telha; Vilar e Vilar do Pinheiro.

Também lá encontrei documento de 1453 sobre a minha Águas Santas e as oito aldeias e lugares adjacentes que a compunham, com quatrocentos e noventa fogos, o mosteiro, e mais informação sobre essa época.

Hoje muita coisa se alterou, ao ver-se esta cidade moderna a memória colectiva por vezes esquece que aqui há história e merece ser lembrada, já não são cinquenta, são dezassete mas seguem sendo orgulhosamente maiatas, como maiato apegado à minha terra, achei por bem passar testemunho deste pedacinho de história que é nossa.