Quanto valem as desculpas de Ricardo Salgado?

0
313
- Publicidade -

Há por aí um anúncio publicitário que questiona os consumidores sobre o que nos dá, quer dizer quanto nos paga, uma estátua, erigida em honra do nosso mérito de poupadinhos?…

Apetece perguntar quanto vale, quanto reembolsam aos clientes do BES e das empresas nele penduradas, que ficaram a arder sem o seu rico dinheirinho, as eventuais ou virtuais desculpas do DDT, Ricardo Salgado?

Que aproveita o país, ter de assistir em directo às intermináveis audições do Dono Daquilo Tudo, que agora é nada?

O que eu, cidadão contribuinte gostava de saber, é o que as autoridades portuguesas têm feito, no terreno e muito em concreto, para tratar de confiscar e arrestar os bens e toda a fortuna pessoal de Ricardo Salgado e da família Espírito Santo?

Alguém tem dúvidas que o património pessoal e familiar detido pelos Espírito Santo não dá para atenuar algumas das catastróficas consequências que a falência do banco roto teve na vida de milhares de pessoas?

Como é possível que o DDT ande por aí à solta, dizendo o que lhe apetece e atirando areia para os olhos dos deputados e do povo, enquanto o dinheirinho dele está bem guardadinho, lá onde só ele sabe?…

Noutro país qualquer, que fosse realmente um Estado de Direito Democrático, o homem estaria nesta altura já com todo o património confiscado, e não se livraria em circunstância alguma, de responder diante um Juiz, não para dizer a sua verdade, mas toda a verdade.

Há pequenos empresários, há cidadãos que pouparam uma vida inteira e pessoas de boa fé que confiaram no Espírito Santo, e ficaram sem nada, literalmente na miséria. Para todas essas pessoas, desculpas, ainda que as houvesse, de nada serviriam.

Como poderemos calcular, e não estaremos muito enganados, os Salgado e os Espírito Santo ainda têm uma grande fortuna. Uma fortuna que não lhes pertence. Esperemos que a Justiça não tarde a dar o seu a seu dono…

Victor Dias

- Publicidade -