JSD da Maia num contacto directo com as escolas


A Juventude Social Democrata (JSD) da Maia tem vindo a trabalhar junto das escolas do concelho. Primeiro, preparou uma formação destinada ao público “Sub18” da escola Básica e Secundária do Levante da Maia em Nogueira, depois “levou” o programa Erasmus à Escola Secundária da Maia.

O gabinete de formação organizou no passado dia 16 de Abril uma formação destinada ao público “Sub18”. cerca de 70 alunos estiveram presentes no workshop que procura de um modo mais “informal, divertido, interactivo e desprendido de qualquer partidarismo, explicar o que é e para que serve a política”.

O workshop foi levado a cabo por Simão Ribeiro, deputado da Assembleia da República, presidente da Comissão Política Regional do Porto e vice-presidente da Comissão Política Nacional da JSD; César Vasconcelos, secretário-geral adjunto da Regional do Porto da JSD, Marco Correia, presidente da Concelhia da Maia da JSD e Pedro Carvalho, vice-presidente e coordenador do Gabinete de Formação da JSD Maia.

A estrutura faz um balanço “extremamente positivo” da iniciativa. “Todos os alunos participaram bastante nos vários quadros temáticos da formação que os levou a casos práticos de decisão política, como por exemplo debater ideias como se fossem candidatos a um órgão municipal ou a uma Associação de Estudantes”.

Programa Erasmus
Na passada quinta-feira, 19 de abril, a JSD Maia regressou à escola, desta vez à secundária da Maia para promover um encontro com os alunos com o tema “Erasmus – o teu futuro na Europa” como pano de fundo. A iniciativa, que contou com o apoio da Associação de Estudantes do estabelecimento de ensino, teve como objectivo informar e sensibilizar os jovens pré-universitários do ensino secundário sobre este programa europeu de mobilidade estudantil.

Para isso, a estrutura convidou cinco alunos que se encontram a realizar os seus estudos no ISMAI, no âmbito do programa Erasmus, bem como de outros programas de mobilidade estudantil, que apresentaram os seus testemunhos pessoais. Os estudantes explicaram como e por que razões escolheram Portugal para fazerem Erasmus, falaram do que pensam sobre o país, do seu dia-a-dia e até do seu país de origem.

A JSD considera que a iniciativa correu bem e que “foi evidente” que os jovens alunos presentes, sentiram que o tema era significativo para eles. “A semente e a vontade de um dia participar no programa Erasmus ficou na vontade dos que assistiram à iniciativa”, sublinha a estrutura em comunicado.

Para a JSD esta é uma das formas de fazer política, de estar mais próxima dos jovens e de oferecer respostas para a sua formação cívica enquanto cidadãos da União Europeia. “Falando com os jovens, abordando os problemas que lhes dizem respeito, apresentando soluções para a sua formação académica, profissional, social e pessoal. É este o caminho que a JSD Maia está a traçar em prol da juventude maiata”, conclui.