Maia mostra potencialidades tecnológicas e educativas ao Comité das Regiões

Maia mostra potencialidades tecnológicas e educativas ao Comité das Regiões

“Se existisse um muro à volta da Maia, toda a população aqui residente teria emprego”, foi esta a imagem que Bragança Fernandes usou para explicar aos elementos do Comité das Regiões de visita à cidade, nos dias 12 e 13, o grau de empregabilidade elevado que existe no concelho.

A Maia, de acordo com o autarca, exporta trabalhadores para outras regiões, mas, principalmente, “recebe mais gente para trabalhar nas empresas aqui instaladas do que as pessoas que saem da Maia para trabalhar”.

Por outro lado, apresenta um elevado grau de especialização tecnológica dos seus recursos humanos, dado que os jovens formados no concelho usufruem de escolas de qualidade e que privilegiam o recurso às novas tecnologias de Informática e Comunicação nos diversos graus de ensino, desde os primeiros anos do ensino básico até ao ensino superior.

Os 10 membros do Comité das Regiões da União Europeia, que integram a Comissão SEDEC (Política Social, Educação, Emprego, Investigação e Cultura) visitaram o Centro Escolar da Maia, o ISMAI e o TECMaia. Estes elementos pertencem a municípios de países da União Europeia, oriundos dos países: Finlândia, Lituânia, Polónia, Hungria, Bélgica, Irlanda, Roménia, Estónia, Letónia e Luxemburgo.

Numa visita de caráter informativo, os representantes de regiões europeias vieram conhecer esta experiência educativa da Maia, no sentido de aprofundar o conhecimento sobre as políticas e programas desenvolvidos pelo município no domínio das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC).
Há vários anos que a cidade da Maia tem implementado políticas de fomento das TIC nos seus estabelecimentos de ensino, junto das crianças e jovens, sendo considerada uma autarquia pioneira neste domínio.

TIC na escola

Desde a formação TIC no 1º Ciclo do ensino básico, fruto dos investimentos em laboratórios de informática em todas as escolas do concelho, que permitem que as AEC (atividades extra curriculares) se desenvolvam nas melhores condições e despertem o interesse nos alunos por estas matérias, passando pelas escolas secundárias e pelo ensino superior (ISMAI), é possível, na Maia, um aluno ter formação desde o 1.º ano até ao final do mestrado nas áreas das TIC.
Paralelamente, o município criou o TECMaia, um Parque de Ciência e Tecnologia, com mais de 60 empresas instaladas e mais de 1500 trabalhadores altamente qualificados, muitos deles nos domínios das TIC.

Este modelo formativo e de desenvolvimento integrado corporiza uma oportunidade estratégica de expansão noutros países europeus. Daí o interesse destes elementos de várias cidades europeias, que tiveram oportunidade de começar o dia de sexta-feira vendo de perto como as crianças do 1º ao 4º anos do Centro Escolar da Maia operacionalizam o seu conhecimento através das TIC, no âmbito do dia a dia escolar.

Maia Digital

Ao nível escolar concelhio, a interligação digital está avançada ao ponto de um aluno poder escolher de casa, através da Internet, a refeição que vai querer no dia seguinte na escola, bem como os pais terem um acompanhamento online muito próximo acerca dos temas e nível de aprendizagem dos seus filhos.

Depois a comitiva seguiu para o ISMAI, a segunda maior universidade privada do país, e primeira no Norte. “Um símbolo de sucesso no ensino superior em Portugal, que alia as boas instalações a um quadro de organização académica e docência de excelência”, sublinhou o anfitrião, Domingos Oliveira Silva, reitor do Instituto Universitário.

Foi explicado aos visitantes que o trabalho desenvolvido pelo ISMAI nesta área de novas tecnologias foi facilitado pelo projeto Maia Digital, iniciado de forma pioneira pela autarquia em 2003. Desde há seis anos que o ISMAI se encontra ligado por fibra ótica ao TECMaia e à Câmara Municipal e rede de escolas, o que completa um anel de conexão com uma elevada capacidade e fiabilidade de transferência de dados.

A complementar este ensino inovador, os estudantes têm oportunidade de entrar em contacto com outras culturas, via Programa ERASMUS, recebendo o ISMAI alunos também de outros países.

O Instituto Universitário recebe tem protocolos com universidades de 13 nacionalidades, tendo sido proporcionado um encontro entre alunos a frequentarem intercâmbio na Maia com alguns dos elementos visitantes seus conterrâneos. A apreciação geral feita por esses estudantes foi muito positiva, quer no que respeita aos estudos quer ao acolhimento em que estão envolvidos.
A visita incluiu ainda o percurso pelo TECMaia e a uma empresa, bem como um roteiro cultural pela zona ribeirinha do Porto.