“Festas da Maia devem ser assumidas pela Câmara”

Nossa Senhora do Bom Despacho

Joaquim Teixeira, líder da Comissão de Festas da Maia, em honra de Nossa Senhora do Bom Despacho, tem longos anos de experiência na organização. À medida que o programa foi sendo enriquecido e as Festas da Maia se assumiram cada vez mais como um evento concelhio, este dirigente chega à conclusão de que é preciso que a Câmara Municipal assuma definitivamente a organização.

Esta edição 2016 conta com uma imagem renovada, criada especificamente para as festas, e um pack atrativo dirigido aos patrocinadores, que só têm que aproveitar um programa com apostas inovadoras.

Este ano há mais dias de festa, inclui quatro fins de semana, foi um desafio muito grande?
Sim, muito grande, este ano há festa de 1 a 11 de julho com iniciativas diárias. Em anos anteriores exisitam eventos, mas na Feira de Artesanato. Este ano há dois palcos: o Palco Pirâmides e na zona da Feira do Artesanato, no Parque Central.
A aposta é uma aposta ganha com certeza. Penso que, no total, temos no programa mais de 100 ações. Agora o público é que dirá se foi um programa bem sucedido ou não. Isto é muito trabalhoso, em especial por se tratar de uma equipa que não é profissional. Na comissão, somos cerca de 70 pessoas, embora no ativo estejam cerca de 40 a 50. Naturalmente que, durante os dias da festa, com a tasquinha e todos os eventos, há mais pessoas que se juntam a nós como voluntários e nos ajudam, todos são precisos.

Incluem diversos eventos de caráter religioso, cultural e desportivo, alguns deles inéditos?
Sim, temos por exemplo, um evento novo, que se realizou no dia 19, que teve por objetivo visitar todas as 11 capelas da paróquia da Maia. Eu nem fazia ideia do número de capelas que existiam, algumas delas são particulares e as pessoas abriram as portas para que as pudéssemos visitar. Houve uma pessoa a fazer uma visita guiada e os próprios donos das quintas, onde se situam algumas das capelas, também ajudaram a contar um pouco da história das suas propriedades e das capelas.
Há o Festival Internacional de Folclore, que já há alguns anos que não se realizava. O Festival de Tunas era para ser internacional, mas houve algumas desistências de grupos e acabou por ficar apenas ibérico. De resto, temos eventos desportivos, desfiles de moda, etc. Destaco a exposição de automóveis clássicos, que vão estar em exposição na Praça do Município, e também a prova de BTT.
A Corrida Vertical é uma iniciativa do Pelouro de Desporto e da Comissão de Festas, juntamente com uma entidade do Algarve, que organiza em termos técnicos. O objetivo será subir o mais rápido possível a escadaria da Torre do Lidador.

Joaquim Teixeira

Nova imagem das Festa da Maia

O que foi mais difícil na organização?
Teve a ver com a imagem das Festas. Este ano a festividade de Nossa Senhora do Bom Despacho tem uma nova imagem, mais jovem e moderna. Surgiu a oportunidade de mudar, mas já quando estávamos a trabalhar com outra imagem, foi uma alteração de última hora, o que trouxe alguns atrasos na feitura dos cartazes e de outros produtos de divulgação. O certo é que gostamos tanto desta imagem, que decidimos que tínhamos que a adotar, mesmo correndo estes riscos de contratempos com a divulgação das festividades.
O autor da nova imagem é um maiato, mas ainda estamos a estudar o momento em que será divulgado o seu nome. O logotipo das Festas tem uma infinidade de opções para utilizar em termos de cores, poderemos optar todos os anos por cores diferentes. Este ano, escolhemos o uso do azul e do preto para o fundo.

A divulgação tem sido intensificada nas redes sociais?
De facto, a divulgação das festas passa muito por aí. As Festas da Maia atingiram uma dimensão tal, que não era possível continuar a fazer como era costume e de uma forma amadora. As festas devem ser divulgadas cada vez mais de forma profissional, dada a dimensão que conseguiram e aquilo que trazem para o concelho. E aqui a Câmara deve dar uma ajuda e assumir um papel primordial. Esta é a minha opinião. A dimensão é de tal ordem, que, embora a Comissão possa ajudar na parte religiosa, os grandes eventos do programa devem passar para a organização da Câmara. Já tenho falado muito sobre isto com o presidente, o vice-presidente e tenho estado a sensibilizar alguns vereadores. Acho que o executivo começa a perceber isto.

Câmara deve assumir

A autarquia está mais sensibilizada para assumir as festas?
Há uns anos, penso a ideia não teria pernas para andar, mas tenho vindo a sensibilizar as pessoas com quem trabalho diretamente e considero que a breve prazo isso vai acontecer. A Câmara além de ajudar, tem que fazer. São as Festas do Concelho e faz todo o sentido que assim seja. A autarquia tem a máquina montada, tem profissionais que podem trabalhar na organização durante o ano inteiro.

Quanto é que custam as festas?
Os custos ainda não estão fechados. Nem quero apontar números por enquanto, mas isto só se torna possível, dado ser um investimento muito elevado, com o apoio substâncial da Câmara Municipal e de peditórios que fazemos, entre outras receitas.

Este ano também apostaram em merchandising e um pack especialmente dirigido às empresas?
Lançámos um pack de publicidade que fizemos chegar junto dos empresários, de forma mais orientada. Estamos a receber respostas positivas e a ter até outras propostas diferentes, mas teremos que começar mais cedo. Este ano, a mudança de imagem prejudicou um pouco esse trabalho. Quem vê esta imagem cuidada, o mar de gente que participa nas festas, só acha estranho os empresários da Maia não aproveitarem mais para divulgarem a sua imagem e seus projetos. Temos espaços próprios para disponibilizar.

A parte religiosa é um dos pontos altos?
Este ano temos uma porta santa no Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho. Uma oportunidade para quem vier à Maia, de passar na porta santa. Depois temos a missa campal, que se faz no domingo de manhã, e que proporciona a possibilidade de ter mais gente na missa, pois o santuário não alberga toda a gente. A procissão, à tarde, inclui andores de todas as paróquias do concelho, que são convidadas. Isto dá um cortejo de cerca de 25 a 30 andores, o que o torna muito rico em termos humanos e etnográficos.

Padre Domingos Jorge convida os católicos a passarem a Porta Santa

“Cristo é o nosso Jubileu; ele é o rosto da Misericórdia do Pai. O Papa Francisco instituiu que este ano seria o Ano Santo da Misericórdia e a Porta Santa é uma porta da Misericórida, onde qualquer pessoa que nela entra poderá experimentar o amor de Deus, que consola, perdoa e dá esperança”, explicou o padre Domingos Jorge, pároco da Maia.

Para além das quatro grandes portas jubilares, em Roma, todas as dioceses têm na sua catedral esta Porta Santa. O Bispo instituiu também alguns pontos na diocese como santuários jubilares. O Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho foi decretado uma porta Jubilar, que abriu em dezembro de 2015 e vai manter-se aberta até final de novembro 2016.

Porta Santa

Assim, o pároco da Maia convida toda a população a passar pela Porta Santa do santuário, a única no concelho da Maia. “Esta porta santa é o rito inicial do Jubileu, apenas se abre durante o Ano Santo, e significa passagem e entrada para uma vida nova. Os Anos Santos realizam-se de 50 em 50 anos, a não ser que haja um motivo especial em que a Igreja o decrete noutras alturas”.
Das 9h30 às 12h30 e das 14h30 às 18h00 está aberta a Porta Santa, com uma pessoa no atendimento, com a realização da eucaristia, sendo acolhidas as pessoas, os grupos e os peregrinos de Santiago, em maior número nos Anos Santos.

abrunhosa

Programa das Festas da Maia – Nossa Senhora do Bom Despacho 2016

1 julho

20h00
Inauguração da Tasquinha da Comissão de Festas – “A Genuina Sande de Leitão”
Local: Av. Visconde de Barreiros

21h30
Inauguração das Festas do Concelho da Maia
Fogo de Artifício, Inauguração das Iluminações e Cortejo Equestre
Local: Praça Prof. Dr. José Vieira de Carvalho/Rua das Festas

1 a 8 de julho – Palco Pirâmides
01 – 22h30 – Talentos da Maia no The Voice
01 – 24h00 – DJ Xeor
02 – 21h30 – XXXVIII Festival de Folclore da Maia (organização: Grupo de Danças e Cantares Nossa Senhora de Guadalupe)
03 – 21h00 – Maia Fashion 2016
03- 21h30 – Festival de Dnaças Urbanas
04 – 21h30 – Bruna Costa / Red Rocks Band
05 – 21h30 – Union Salsera
06 – 21h30 – Xibata
07 – 21h30 – Per7ume
08 – 21h30 – Zé Amaro

2 julho

10h00
Maia Motas – Exposição de Motas Novas e Clássicas
Animação: Dj Nuno Ferreira
Local: Praça Prof. Dr. José Vieira de Carvalho

15h00
Inauguração da 20ª Feira de Artesanato da Maia (2 a 11 de julho)
Local: Parque Central

17h00
Inauguração da feira do Livro (2 a 11 de julho)
Local: Fundação Gramaxo

20h00
Corrida Vertical Maia Torre Lidador

3 julho
9h00 – BTT II Passeio rumo ao Bom Despacho
15h00 – V Concentração Auto Antigos e Clássicos

7 julho
21h30 – História da Romaria Nossa Senhora Bom Despacho
(Caminhada noturna, interativa e comentada)

8 julho
18h00 – Abertura da 4ª Mostra Agrícola da Maia
Local: Mercado Municipal

19h00 – Inauguração “Maia, Vinhos e Sabores”
(9 a 11 julho – 12h00 às 24h00)
Local: Fundação Gramaxo

8 a 10 julho – Palco Praça
08 – 21h30 – V Maitunas Festival ibérico
09 – 21h30 – Maia Faxhion 2016
09 – 22h00 – Ricardo Azevedo
10 – 21h30 – Minhotos Marotos

9 julho
8h30 – caminhada solidária

22h00 – Deolinda, Outras Histórias
Local: Palco Pirâmides

00h00 – Show Piromusical

00h15 – DJ Adri e Philly Gonzalez, Supeito Óbvio
Local: Palco Pirâmides

10 julho
16h00 – Procissão Mariana N. S. Bom Despacho

21h30 – Encontro Internacional Folclore do Mundo
Local: Palco Pirâmides

11 julho
22h00 – Pedro Abrunhosa & Comité Caviar
Local: Palco Pirâmides

0h00 – Fogo Pirotécnico

17 julho
8h30 – 10 Km Bom Despacho
(Corrida de 10Km e caminhada de 5Km)