Maia: João Torres e Silva Tiago?

António Tiago e João Torres

1.- Estava a preparar-me para escrever sobre as eleições autárquicas na Maia, e eis que vem a informação de que Bragança Fernandes apoia a candidatura de Silva Tiago. Antes fiquei a saber que o socialista Marco Martins apoia a candidatura de João Torres. Outros candidatos surgirão, de outros partidos e independentes, tenho como quase certo. Silva Tiago anda há muito tempo no terreno, que lhe tem sido facultado pelo atual presidente da câmara. Aliás já existiu um outro vereador que o mencionava como herdeiro natural, ao que direi como herdeiro “monarcal”. Gostaria de ver na terra onde vivo um outro destino para o serviço público, que não fosse a do emprego partidário, mas cidadãos ou cidadãs que se candidatassem por um serviço de cidadania e que após isso fizessem a sua vida normal; em autarquias seria a normalidade, não sucessória, nem dinástica. Um exercício do poder-serviço, não coreferencial com empregos de vida, que duram anos, a perfazer o que as populações referem como “não saberem fazer outra coisa”.

2.- João Torres é um jovem promissor, dedicado à política, e por isso mesmo deputado à assembleia da república. Dedicado, estudioso, tem dado o ar da sua graça à Maia. Dedicou-se à política e seguirá certamente este caminho, elemento da Juventude Socialista da Maia, progrediu até secretário-geral da JS, passando por outros cargos políticos. É muito trabalhador e deve ser um bom tribuno, capaz de dirigir uma câmara municipal, freguesia ou outros cargos importantes – e reconheço ser esta uma característica que não tenho e também não quero e ainda não posso, por razões de ética. Quando Marco Martins o aponta como o melhor candidato para as eleições do próximo ano, penso ser extemporâneo, não creio que seria o melhor para ele, nem para a Maia. Não por não lhe reconhecer características de unidade e diversidade capazes de unir o Partido Socialista da Maia e conquistar um bom resultado eleitoral, mas por que parece prematuro. João Torres terá tempo e espaço para dar o melhor de si ao país. Assim o espero.

3.- Na assembleia e câmara da Maia deveriam existir novos nomes, novas ideias, novos horizontes e não uma “continuidade” que por si só é desajustada à compreensão do fenómeno político. Certamente que irão com Silva Tiago os mesmos vereadores, e, logo, a mesmíssima metodologia de atuação, estaremos num inverno sem saída. O CDS-PP apoiará esta candidatura e mais uma vez não saberá qual o seu valor em votos nas autárquicas da Maia, o que é, na minha opinião, adverso a uma maior notabilidade. Siva Tiago vem trazer a mesma ideia de Bragança Fernandes para a Maia, não inovará absolutamente nada e os seus programas serão a continuidade duma inércia inevitável de quem continuará a exercer poder, se ganhar claro. Não existe aqui nenhum julgamento pessoal – de quem pessoalmente nada tenho contra – o mesmo não se dirá politicamente. A minha opinião, pronto!

Joaquim Armindo
Doutorando em Ecologia e Saúde Ambiental