JSD Maia mais conhecedora da realidade concelhia

JSD visita a S Pedro Fins

Elementos da concelhia da JSD Maia estiveram reunidos, no final de janeiro, com Alvarinho Sampaio, presidente da Junta de Freguesia de São Pedro Fins, que se fez acompanhar de Armando Pereira e Domingos Sousa, membros do executivo da Junta. Um encontro que levou até ao fecho do ciclo de reuniões com as juntas de freguesia por parte da JSD.

Alvarinho Sampaio fez um balanço do mandato, a entrar na reta final, destacando como um dos pontos fortes da atuação da autarquia, a aposta na proximidade e colaboração com a dinâmica social da freguesia.

Em destaque esteve a área dos cuidados e assistência à população idosa, que a autarquia presta, através do Centro de Dia, acolhendo utentes da freguesia mas também de outras freguesias do concelho e de municípios vizinhos. Os serviços dinamizados pelo Centro de Dia são diversificados e constituem “uma resposta social de elevado valor e qualidade”, referiram os responsáveis do executivo, dando conta que, face à procura, “está já projetada a ampliação do edifício do Centro de Dia”.

Na reunião com os jovens, o executivo de São Pedro Fins adiantou ainda que procurará concretizar “um espaço verde e de lazer, que aproveite as margens da ribeira do Leandro, reabilitando uma das pontes”. Além deste projeto, em articulação com o município da Maia, têm sido levadas a cabo ações de repavimentação, quer em cubos, quer em asfalto, que estão a melhorar as condições de circulação em São Pedro Fins.

O caso da Siderurgia Nacional

No encontro não ficou de fora o tema da Siderurgia Nacional, tendo o executivo da junta demonstrado toda  a atenção ao acompanhamento da atividade desta unidade industrial, “mantendo uma postura exigente, que garanta o menor impacto ambiental possível no território. A Junta está consciente das  melhorias dos últimos anos, mas não deixa de reivindicar mais cuidado e atenção para esta situação, destacando a importância da construção de uma ligação direta à autoestrada, que diminua o impacto da circulação dos veículos pesados pelas artérias da freguesia”, refere o líder da JSD. Adianta que “é convicção da Junta de Freguesia que as contrapartidas pela presença daquela indústria em São Pedro Fins não são justas, lutando, para isso, pela obtenção de mais benefícios para a população, reivindicação na qual a JSD Maia se revê e apoia”.

A Junta mantém no horizonte “a construção do equipamento cultural designado de “Casa do Bispo” e procurará dar o seu contributo para a requalificação de alguns espaços da freguesia, como o Monte de São Miguel-o-Anjo, sendo que, para isso, é necessário o empenho de outras entidades”.

Para a JSD Maia, São Pedro Fins marcou o fim de um ciclo de reuniões com todos os executivos do concelho. Os jovens passaram por visitas e reuniões nas 10 freguesias da Maia, tendo Hélder Quintas Oliveira evidenciado que este périplo foi de grande “riqueza para os membros da concelhia”, que tiveram momentos de “formação e aprendizagem” aprofundando o conhecimento da realidade de todo o concelho.

Angélica Santos