, ,

Plataforma promete “voltar à luta” pela recuperação das freguesias

A Maia está no centro da última tomada de decisão da Plataforma Nacional Recuperar Freguesias, tendo os movimentos reunido na cidade, na quarta-feira, dia 6.

A Plataforma Nacional Recuperar Freguesias prometeu “voltar à luta” pela recuperação das autarquias extintas pelo Governo do PSD/CDS-PP, através de ações de sensibilização da população e da criação de petições. “As freguesias foram extintas, mas nunca será extinta a vontade de as repor”, assume.

Numa nota enviada à Lusa, a plataforma explica que esta decisão foi tomada após uma reunião com representantes dos movimentos cívicos, que decorreu na Maia.

A organização garante estar preparada para mobilizar todas as pessoas de Norte a Sul do país para, nas próximas eleições autárquicas, “penalizar nas urnas” os partidos políticos que nada fizerem para mudar o atual cenário.

Dizendo-se prontos para o “combate político que irão travar”, os movimentos cívicos que integram a plataforma vão realizar, nos próximos meses, reuniões nacionais e regionais, petições online e campanhas de sensibilização junto das populações.

A Plataforma Nacional Recuperar Freguesias envolve 31 movimentos cívicos de todo o país, o que representa 31 uniões de freguesias.

O distrito de Faro, Lisboa e Santarém tem um movimento cívico, Viana do Castelo e Aveiro dois, Porto 10 e Braga 14.

Na sequência da reforma de 2013, sob a responsabilidade do então ministro social-democrata Miguel Relvas, as 4.259 freguesias então existentes passaram para 3.092 (na ilha açorina do Corvo a freguesia é assumida pelo município).