,

Jornadas da Rede de Bibliotecas da Maia marca encontro esta noite com vencedor do Prémio Saramago

  
A Biblioteca Municipal Dr. José Vieira de Carvalho, em parceria com as Bibliotecas Escolares, Biblioteca das Juntas de Freguesia, e Centros de Documentação, tem desenvolvido uma rede concelhia de bibliotecas. Hoje e amanhã, realizam-se as jornadas para bibliotecários, técnicos, professores e animadores, no âmbito desta rede.

Sob o tema “Mediar + leituras”, a iniciativa pretende dotar os diferentes profissionais de ferramentas adequadas e atualizadas ao desenvolvimento do seu trabalho.

A rede de Bibliotecas Escolares tem como objetivo consolidar dinâmicas de trabalho colaborativo ao nível da organização, gestão, eficiência e disponibilização de recursos documentais bem como da promoção do livro e da leitura.

Nos vários painéis de debate, farão intervenções Raquel Patriarca, Paula Cusati, Sérgio Denicoli, Benita Prieto, Maria José Vitorino, Paulo M. Morais, Carla Peixoto e Sofia Ferreira.

Do programa social de hoje, pelas 21h00, realizar-se-á o encontro com o escritor Paulo José Miranda, o primeiro autor a ganhar o Prémio José Saramago em 1999. Considerada uma obra-prima, o seu livro “Natureza Morta” conquistou José Saramago e Pilar Del Río, que o colocavam num patamar ao nível de Herberto Hélder.

O autor irá falar da obra “A morte não é prioritária: biografia de Manoel de Oliveira”. A partir das 21h00, o escritor nascido na Aldeia de Paio Pires, em 1965, dará conta do trabalho de preparação desta biografia do cineasta português, que perto dos 100 anos de idade comentava com um amigo que tinha que “pensar no futuro”.

Manoel de Oliveira está nos antípodas do convencional, não só no tocante à vida, mas também no que respeita à obra. Neste livro, Paulo José Miranda mergulha no génio do realizador, procurando compreender os filmes que fez à luz das revoluções que ia produzindo em diferentes épocas.
A viver há vários anos no Brasil, Paulo José Miranda escreve vorazmente e, um dia, afirmou: «só sofremos de amor e de uma obra por cumprir».