,

Investidos 20 milhões de euros a renovar todo o parque habitacional da Maia

Até ao final de 2020 o património habitacional do município da Maia ficará reabilitado na totalidade, assegura Silva Tiago, o presidente da Câmara da Maia. Estão a ser investidos perto de 20 milhões só nas habitações, não contando com o custo das requalificações dos espaços envolventes.

O presidente da Câmara da Maia referiu que tudo ficará requalificado, “quer os conjuntos habitacionais no centro da cidade, do Sobreiro, quer os empreendimentos Maia I, onde está a Espaço Municipal, e Maia II, na Av. António Santos Leite”.

Espaços públicos envolventes também são requalificados

A juntar a estas obras, também se estão a requalificar todas os espaços públicos envolventes “de uma forma muito profunda”, como aponta Silva Tiago, “os passeios, os jardins, os arruamentos, as praças, as pracetas, a iluminação pública com lâmpadas LED”.

A requalificação estende-se a “todo o resto do parque habitacional social, propriedade do município”, que, “ou já foi terminado ou ainda vai ser requalificado até final de 2020, não havendo nenhum atraso devido a algum imprevisto”, afirmou o presidente da Câmara ao jornal Maia Primeira Mão.

Entregues oito habitações no Bloco 28 do Bairro do Sobreiro com rendas de 60 a 130 euros

Neste mês de novembro, a Espaço Municipal e a Câmara da Maia entregaram oito novas habitações (tipologia T3) no Bloco 28 do Bairro do Sobreiro, que ficou agora completamente requalificado.

O bloco 28 encontrava-se devoluto e em mau estado, ganhando agora uma nova vida e dando outro alento à vida de oito famílias. Os novos moradores poderão suportar rendas que variam entre 60 e 130 euros mensais.

As obras nos três empreendimentos equivalem a um investimento que ascende a 15 milhões de euros. “Uma intervenção global nos três empreendimentos que foram edificados no pós 25 de abril pelo Fundo de Fomento da Habitação e nunca foram alvo de obras desta envergadura”, explica António Silva Tiago.

“A Câmara está a pagar isto tudo, tendo aumentado o capital social para a Espaço Municipal, para que tivesse músculo para fazer estas obras. A Espaço Municipal é detida totalmente pela Câmara. Os outros conjuntos habitacionais, que são propriedade da Câmara, também estão a ser alvo de intervenção. Esses estão a ser pagos pela autarquia, que fez um contrato-programa com a Espaço Municipal, que foi já aprovado e visado pelo Tribunal de Contas. Assim, a Espaço Municipal está a contratualizar com empresas empreitadas de requalificação”, explica o autarca maiato.

E refere ainda que tudo isto também tem ajudas comunitárias, através do Portugal 2020 – PEDU (Planos Estratégicos de Desenvolvimento Urbano) e do Norte 2020 – Programa de Eficiência Energética. Ainda assim o município da Maia comparticipa com mais de metade das verbas.

Remodelações em Vila Nova da Telha adjudicadas

O Conselho de Administração da Espaço Municipal, presidido por Silva Tiago, adjudicou a segunda fase das obras nos empreendimentos de Frejufe, em Silva Escura, e na Rua da Fábrica, freguesia de Vila Nova da Telha, com investimentos de 246 mil e 187 mil euros, respetivamente. As obras de requalificação arrancam ainda este mês. Nestes empreendimentos o presidente sublinha que a requalificação é toda paga pela Câmara da Maia.

António Silva Tiago sublinha que “as pessoas estão encantadas com as obras, pois estamos a fazer tudo isto com muita sabedoria, colocando caixilharia nova com vidros duplos, persianas com arejamento natural, intervenção exterior com isolamento térmico e acústico excelente, retiramos fibrocimento e colocamos isolamento. Tudo com muita qualidade”.