BE quer devolver o Rio Leça à comunidade

0
240
- Publicidade -

No dia 31 de julho, a coordenadora nacional do BE, Catarina Martins, acompanhada do candidato à Câmara Municipal da Maia, Silvestre Pereira, e do cabeça de lista à Assembleia Municipal da Maia, Francisco José Silva, bem como da deputada Maria Manuel Rola e de outros representantes e candidatos do BE na Maia, realizou uma visita à ETAR de Parada e ao Rio Leça.

Tratou-se de uma ação de sensibilização para uma gestão mais cuidada e eficiente do Leça. A ação teve como alvo um problema que afeta os habitantes de vários concelhos onde passa o Rio Leça, e portanto juntou autarcas e ativistas dos concelhos da Maia, Matosinhos, Valongo e Gondomar e moradores das urbanizações circundantes da ETAR de Parada, na Freguesia de Àguas Santas, que há muito se queixam do problema do mau cheiro e do «estado lastimável do rio».

A coordenadora do Bloco ouviu as queixas da Associação de Moradores da Praceta António Gonçalves Laje (conhecida como Praceta do Laje) e os seus apelos a uma «mudança na forma como as questões do ambiente são encaradas a nível local e nacional».

O Bloco de Esquerda exige «mais responsabilidade e ação» por parte das câmaras municipais e uma maior coordenação dessas responsabilidades, ao nível central, por parte da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) para que o rio seja limpo e se mantenha livre de novas descargas poluentes. «Só assim é possível devolver o Leça à comunidade», conclui o comunicado que o BE enviou à nossa redação.

- Publicidade -