Bragança Fernandes quer “vitória esmagadora”

0
186

De “Primeiro as Pessoas” para “Pela Maia, Por Si”. De uma coligação com o CDS-PP a uma candidatura autónoma do PSD. É a evolução das eleições autárquicas de 2005 para o sufrágio deste ano, no que à Maia diz respeito. Mas com um denominador comum: Bragança Fernandes como cabeça-de-lista à presidência da Câmara Municipal da Maia. Apresentado ao final da tarde de quarta-feira no Hotel Egatur, numa sala repleta ao ponto de não chegarem os lugares sentados, o actual presidente da autarquia maiata mostrou-se confiante numa “vitória esmagadora” de um partido que classificou de “credível, um partido que olha pelas pessoas e em quem se pode confiar”.

Mas “é muito difícil” e “não são favas contadas”, alertou o vice-presidente da Comissão Política Nacional do PSD, depois de contrapor a “imagem desgastada” de José Sócrates à “imagem a três dimensões” que o PSD quer impor. José Pedro Aguiar Branco comparou ainda o primeiro-ministro ao cabeça-de-lista à Maia, dizendo que Bragança Fernandes protagoniza os valores, a aposta em causas e não em bandeiras e, sobretudo, a “honra”, sendo alguém em que “se pode confiar”.

Já o presidente da distrital do Porto do partido destacou o facto de o cabeça-de-lista à Maia estar sempre junto da sua população, acrescentando “E perto de si” ao lema desta candidatura maiata. Dirigindo-se a Bragança Fernandes como “amigo”, Marco António Costa reconheceu também tratar-se de “um autarca da modernidade” e até “um exemplo a seguir”, porque tem feito da Maia “um símbolo do poder local”.

Aumentar os eleitos

Neste compromisso que volta a ser “dirigido às pessoas”, tal como nas autárquicas de 2005, o cabeça-de-lista do PSD à Maia quer construir “uma sociedade do futuro”, assente nos pilares da saúde, educação e acção social, passando pela inclusão social, qualidade de vida e bem-estar das pessoas. Mas alertando que, para isso, é preciso ir para a rua, “levar as pessoas a votarem em nós” de forma a combater a abstenção e vencer as eleições de Outubro. Os objectivos estão bem definidos: “vencer de forma clara a câmara municipal, aumentar o número de deputados na assembleia municipal e conquistar mais juntas de freguesia”.

Ouça a declaração de Bragança Fernandes:

[audio:VENCER.mp3]

No discurso oficial de apresentação, Bragança Fernandes disse tratar-se de uma candidatura “mais forte do que nunca, mais coesa, com ideias, com políticas, com estratégias, unida numa só direcção”. Já antes, Marco António Costa tinha afirmado tratar-se de uma candidatura “de homens e de mulheres boas, que querem servir os maiatos acima de qualquer outro serviço”. Bragança Fernandes apontou ainda o dedo a “alguns candidatos que não conhecem a realidade do concelho”, chegando ao ponto de lamentar ainda “quem não tem memória ou demonstra ingratidão por quem o acolheu”.

Ouça a declaração de Bragança Fernandes:

[audio:CANDIDATURA.mp3]

Frontalidade e honestidade

Nesta festa social-democrata, António Joaquim Sousa e Silva foi o primeiro a ser apresentado, como mandatário concelhio da candidatura do PSD e descrito por Bragança Fernandes como “um homem frontal e que pugna pela honestidade”, aliás, “as virtudes destas candidaturas”, sublinhou o candidato. Com “grande alegria”, o actual presidente da direcção do FC Pedras Rubras aceitou o convite para o cargo que pretende “desempenhar com empenho, com determinação”, ainda que “de forma modesta”. Aquele que já foi também vereador da Câmara da Maia, entre 1989 e 1993, acrescentou ainda ter aceite o convite “pela Maia”, mostrando-se convicto na vitória do partido a 11 de Outubro.

Presença assídua nas listas do PSD à Maia é o de Luciano da Silva Gomes, presidente da Assembleia Municipal da Maia desde 1989. Volta a encabeçar a lista a este órgão autárquico, numa altura em que assume “conhecer bem” a terra e as gentes da Maia, e a cujos problemas tem estado atento ao longo das duas últimas décadas. Por isso, afirmou-se “de consciência tranquila” e “um autarca realizado”, por ter cumprido – com os restantes elementos eleitos em 2005 – os compromissos a que se tinha proposto. Daí ter aceite recandidatar-se ao cargo, com uma garantia: “Se os maiatos confiarem em mim, terão a certeza que, com a mesma conduta do passado, no presente e no futuro continuarei a lutar pela afirmação dos valores da solidariedade, da ajuda, do respeito por todos e cada uma, mesmo na diversidade de pensamentos”. Sempre apostando na proximidade com os maiatos, através das sessões temáticas, revista da assembleia municipal e reuniões descentralizadas.

Para as assembleias de freguesia, a lista “Pela Maia, Por Si”, apresentou 16 nomes, entre actuais autarcas e caras novas. Os actuais presidentes de junta sociais-democratas – Santa Maria e S. Pedro de Avioso, Barca, Folgosa, Gemunde, Maia, Moreira, Nogueira, S. Pedro Fins, Silva Escura e Vermoim – recandidatam-se, juntando-se à lista as apostas do PSD para conquistar as freguesias de Águas Santas, Gondim, Gueifães e Milheirós. No caso de Pedrouços, actualmente com executivo social-democrata, a aposta é num novo candidato, restando Vila Nova da Telha, onde a aposta do partido será o apoio a um candidato independente (Ver Caixa). De referir ainda um lapso na apresentação da lista de candidatos às assembleias de freguesia, aquando da chamada de Mário Freitas como cabeça-de-lista a Gondim. O empresário, presidente da Associação Recreativa, Desportiva e Cultural de Gondim, foi chamado como sendo o actual presidente da junta de freguesia, curiosamente, presidida por um socialista.

Sobre a escolha dos candidatos às assembleias de freguesia, o líder da distrital do Porto do PSD, Marco António Costa, destacou a também aposta do partido em apoiar independentes em vez de apresentar candidatos próprios a todas as juntas, numa “atitude de não sectarismo, de abrangência e de completa abertura à participação de todos nos seus projectos”.

Marta Costa