CDS denuncia “hipocrisia” no Zoo

0
127

Foi a “hipocrisia” que motivou mais uma visita dos candidatos do CDS-PP ao Zoo da Maia, considerado “um dos emblemas” do concelho. Entendem os populares que “o zoo representa o maior exercício de hipocrisia deste executivo camarário”. A somar às “pressões de outras freguesias para levar o zoo para essas freguesias”.

A acusação foi feita pelo cabeça-de-lista do CDS-PP à Câmara da Maia, Álvaro Braga Júnior, na tarde de segunda-feira, numa visita ao zoológico. Esteve acompanhado pelo primeiro candidato à Assembleia Municipal da Maia, David Tavares, e pelos candidatos a assembleias de freguesia do concelho.

Rejeitando o exercício de “hipocrisia”, Álvaro Braga Júnior defendeu que “tem que ser muito claro aquilo que a câmara quer, ou não, fazer em relação ao Zoo”:

[audio:HIPOCRISIA.mp3]

A posição do CDS-PP já foi manifestada ao responsável pelo jardim, Carlos Teixeira, também presidente da Junta de Freguesia da Maia. Assenta na ideia de “manter o Zoo”, independente das obras necessárias e da necessidade de “dar melhor qualidade a alguns animais e não ter alguns que não se possam ter”.

Os centristas consideram que o espaço está “abandonado”, atribuindo responsabilidades à autarquia. Por isso, “o senhor presidente da câmara vai ter que a assumir claramente”, defendeu, assim como definir o que pretende para a Maia. Esta era uma discussão que Álvaro Braga esperava ter no debate televisivo marcado pela ausência de Bragança Fernandes.

A sete dias das autárquicas, o candidato do CDS-PP reiterou que, a ser eleito vereador, o Zoo “será um dos espaços a que vou dedicar mais atenção”, impedindo que o executivo “faça disto um espaço faz de conta”.

Marta Costa