CDS Maia reuniu com líder do executivo camarário

0
290
- Publicidade -

A Comissão Política do CDS Maia reuniu, no dia 16, com António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal da Maia. Em cima da mesa estavam dois grandes objetivos: apresentar recomendações sobre temas que interessam ao município e assinalar, simbolicamente, os primeiros seis meses de governação da coligação PSD/CDS “Maia em Primeiro”.

Manuel Oliveira, presidente da Comissão Política do CDS Maia, frisou no início da reunião que “o CDS Maia não quer, de todo, fazer-se substituir ao órgão municipal responsável pela fiscalização política do trabalho do executivo municipal, mas consideramos de extrema importância que estes momentos existam. No CDS privilegiamos a política positiva e construtiva, foi isso que viemos também aqui trazer.”

Fundos Comunitários, Descentralização de Competências, Segurança e Transportes foram assuntos amplamente discutidos. Quanto aos Fundos Comunitários, o CDS Maia alertou para as verbas ainda por distribuir do Portugal 2020 e recebeu, da parte de António Silva Tiago, a explicação que a Maia aproveita da melhor forma todos os incentivos financeiros ao seu alcance, «sendo prova disso o financiamento garantido para a tão desejada e justa requalificação da totalidade do Bairro do Sobreiro, no centro da cidade».

CDS quer debate concelhio sobre descentralização e convidou o presidente da Câmara a participaram

Em relação à descentralização de Competências, entende o CDS Maia que é positivo atribuir aos municípios responsabilidade direta em áreas como a Educação e a Saúde, mas também há perigos orçamentais associados. Segundo Manuel Oliveira, “é reconfortante ouvir o presidente da Câmara ser pragmático nesta temática já que nos garantiu que sem o respetivo envelope financeiro, a Maia não aceitará gerir o que o Estado central determina.

Acreditamos que a Maia tem todas as capacidades para assumir a gestão das infraestruturas públicas escolares e de saúde, mas faremos, da nossa parte e nos próximos meses, um debate público aprofundado. Aliás, lançamos convite ao presidente António da Silva Tiago para nos acompanhar na discussão desta matéria tão importante para a eficiência dos serviços públicos.”

A Comissão Política do CDS Maia salientou a sua incerteza quanto à possibilidade da reabertura da linha de Leixões dado o pouco impacto que a mesma já teve em 2009 e questionou ainda sobre a previsão de abertura da linha de autocarro que servirá o centro da cidade e o Aeroporto passando pela Zona Industrial. António da Silva Tiago deixou algumas notas sobre a ambição que o novo modelo de gestão da STCP tem para toda a zona Andante, numa integração de outros operadores com a própria STCP, para que haja um complemento de percursos às linhas já existentes.

Para finalizar, a Comissão Política do CDS Maia relembrou a necessidade de se ultimar a formalização do Conselho Municipal de Segurança, órgão que será presidido pelo líder do executivo municipal. “Continuamos a acreditar que, embora não sendo este um órgão executivo, poderá, e muito, ajudar a que todos os intervenientes nesta área do município estejam em permanente sintonia e possam, em conjunto, trabalhar melhor para reforçar este pilar básico da nossa sociedade”, rematou Manuel Oliveira.

- Publicidade -