CDU aponta várias correções a fazer nas áreas de transportes e habitação

0
289

A CDU Maia reuniu, no dia 29, nas instalações da Junta de Freguesia da Maia, para debater e expor o relatório de atividades desde as eleições autárquicas de 2017, nas quais elegeram quatro representantes em freguesias do concelho.

Neste encontro falaram os representantes da CDU na Maia, nomeadamente Virgílio Garcia, por Pedrouços; João Lopes por Vila Nova da Telha; Alberto Neto por Águas Santas e Júlio Gomes, da Freguesia da Cidade da Maia.

Estes referiram vários pontos fulcrais, principalmente o Plano Diretor Municipal (PDM) e as verbas destinadas para diferentes tipos de ações. Outro dos pontos também bastante referenciado pelos eleitos foi o futuro dos transportes no concelho da Maia, uma vez que este concelho tem ainda carências a nível de transportes públicos, sabendo que está em estudo a possibilidade de novas linhas do Metro do Porto na Maia.

Carla Ribeiro, eleita da CDU na Assembleia Municipal da Maia, referiu na sua intervenção que é necessário ter especial atenção a duas áreas, a educação e habitação, pontos que a CDU considera bastante relevantes. Carla Ribeiro referiu-se a problemas que as escolas maiatas têm, como também a questão dos manuais escolares, sendo que este partido foi um dos defensores da gratuitidade dos manuais no concelho da Maia.

Quanto à questão da Habitação, considerou que as “ilhas” existentes no concelho, nomeadamente as que foram visitadas por este partido – no centro da cidade e em Águas Santas -, não têm condições de habitabilidade, tendo sido registados casos em que era necessária a ajuda da Câmara para dar acesso a habitação social, mas aos quais ainda não foi dada resposta.

Alfredo Maia, também ele representante da coligação na Assembleia Municipal, focou o relatório de atividades a desenvolver pela CDU neste concelho, dando destaque a temas de mobilidade, sendo um dos casos mais urgentes as portagens à volta da Maia.

No âmbito social e financeiro, o deputado referenciou que é necessário desenvolver os direitos dos trabalhadores da Câmara, bem como a transparência de todos os valores da gestão do município, apontando o dedo às elevadas taxas cobradas à população e às contratações da Câmara para os projetos municipais.

Fazendo um balanço global positivo da sua atividade, os representantes da CDU nesta reunião salientaram que, apesar da pouca representatividade do partido nos órgãos políticos da Maia, a Coligação Democrática Unitária tem conseguido ao longo destes dois anos fazer com que as suas propostas sejam postas em prática de forma eficaz, dando eco, acima de tudo, dos interesses e carências da população maiata.

A CDU vincou ainda que tem um vasto conjunto de propostas que irá apresentar, até às próximas eleições Autárquicas, nas freguesias onde tem eleitos.

Fernando Lopes, estagiário do curso Ciências da Comunicação da Universidade Fernando Pessoa