CDU denuncia concessão de Mercado do Castelo a operador privado sem lugar para os feirantes

0
301
Foto Patricia Stanton
- Publicidade -

 

Alfredo Maia, candidato pela CDU à presidência da Câmara da Maia, denunciou este sábado, que a Câmara liderada pela maioria PSD/CDS acabou de aprovar a concessão do Mercado do Castelo da Maia a um operador privado. A medida vai à discussão na Assembleia Municipal da próxima segunda-feira.

O candidato da CDU à Câmara denunciou esta medida durante a apresentação da sua candidatura este sábado de manhã, considerando que é uma media extremamente injusta para os atuais operadores do Mercado do Castelo da Maia e que tem a “conivência” da coligação PS/JPP no executivo maiato.

“Depois de ter adiado ano sobre ano os investimentos que lhe cabem fazer, deixando o Mercado degradar-se, tal como a CDU denunciou em diversas ocasiões, a Câmara Municipal acaba de decidir por unanimidade, entregar o Mercado Municipal a um operador privado, que o deverá reabilitar e explorar, destinando-o a atividades comerciais, serviços, lazer e turismo”, explicou Alfredo Maia.

O problema, refere o candidato da CDU, é que “nesse novo mercado não deverão ter lugar os feirantes, isto é, “aqueles que com inúmeros sacrifícios, inclusive nesta crise pandémica suportaram aquele equipamento servindo as populações”.

Na proposta que segue para a Assembleia Municipal na segunda-feira, conta Alfredo Maia, “o executivo alega cinicamente que aqueles feirantes se encontram ali a título precário, assumindo que se prepara para o expulsar”. O máximo que lhes promete, segundo Alfredo Maia, é “uma feira de levante, às segundas-feiras de manhã, na Praça 5 de outubro e no Monte de Santo Ovídio”.

A desculpa para esta mudança, frisou Alfredo Maia, “é um impulso modernizador”, mas que o candidato da CDU considera ser “uma visão elitista” da Maia e seu concelho por parte do atual executivo.

- Publicidade -