CDU em périplo pela Maia

0
142

O candidato da CDU à Câmara Municipal da Maia efectuou na semana passada mais uma série de contactos e visitas de trabalho, tendo em vista a preparação do programa eleitoral para as eleições autárquicas. Do trabalho efectuado, António Neto destaca a reunião com a Provedora da Santa Casa da Misericórdia da Maia, Maria de Lurdes Maia, ao final da tarde de quarta-feira da semana passada e a visita à Feira da Maia no sábado.

António Neto sublinha “a forma amistosa” como foi recebido pela provedora Maria de Lurdes Maia, bem como o clima “cordial” como decorreu a reunião que permitiu, acrescenta, “uma salutar troca de impressões”.

Durante o encontro, conta o candidato, foram expressas concordâncias sobre a problemática do apoio aos idosos e outras camadas sociais carenciadas e a necessidade do reforço das respostas para a resolução de um conjunto de problemas sinalizados no concelho da Maia, nomeadamente equipamentos de retaguarda de apoio aos idoso com determinados tipos de doença, tais como Alzheimer e Parkinson.

“Há um sentido de serviço público, de trabalho em rede, de empenho em cobrir o concelho com respostas de qualidade desde dos jardins-de-infância, centros de dia, centros comunitários e apoio domiciliário, que deverá ser sempre apoiado, incentivado e acarinhado, dado o papel importante desempenhado pela Instituição”, sublinha António Neto.

O cabeça-de-lista da CDU entende que a “crescente desresponsabilização” do Estado das suas funções sociais obriga as Instituições Particulares de Solidariedade Social e as Misericórdias a um esforço acrescido e complementar para dar resposta às necessidades sociais locais.

Na visita à Feira da Maia, António Neto fez-se acompanhar da candidata da CDU à Junta de Freguesia da Maia, Sandra Pilar, e de outros elementos do partido. Este contacto com a população, refere, permitiu constatar a necessidade de adoptar medidas de recuperação, promoção e dinamização do espaço e a realização de iniciativas que animem a feira com o objectivo de aumentar a afluência de clientes e consequentemente as vendas dos comerciantes.