Conselho Metropolitano do Porto reúne amanhã com Covid-19 na agenda

0
308
corona vírus

Depois da proposta do presidente da Câmara da Maia, o Conselho Metropolitano do Porto leva à reunião desta sexta-feira a proposta de prevenir e combater o surto de vírus Covid-19 de forma concertada entre os 17 municípios.

O presidente da Câmara da Maia avançou com a proposta de concertação dos 17 municípios da Área Metropolitana do Porto (AMP) para a adoção de uma estratégia unificada intermunicipal de combate ao Covid-19.

E após ter desenvolvido contactos com autarcas da região e com Eduardo Vítor Rodrigues, líder da AMP, António da Silva Tiago afirma, esta quinta-feira, que o tema vai integrar a agenda da reunião de amanhã do Conselho Metropolitano do Porto.

Perante a emergência da situação, e dada a responsabilidade de ter no seu território o segundo maior aeroporto do país, o autarca da Maia já antecipou medidas preventivas de combate à epidemia, suspendendo eventos e encerrando serviços municipais, tais como iniciativas culturais, desportivas, recreativas ou de formação promovidas pelo município.

Para Silva Tiago, numa área metropolitana faz “todo o sentido” que as medidas de prevenção sejam aplicadas em rede, dado “a enorme mobilidade de pessoas” que circulam diariamente entre concelhos para trabalhar, estudar ou por razões de lazer e familiares. “Acho que será muito mais eficaz colocar em marcha um plano em rede do que cada município caso a caso”, refere o presidente da Câmara da Maia.

A Câmara já cancelou diversas atividades culturais e desportivas, deslocações ao estrangeiro e serviços municipais, no âmbito do plano de contingência interno, que será reavaliado a partir de 24 de março.

O autarquia tem ainda promovido encontros com instituições de sensibilização a pais e encarregados de educação para que mantenham as crianças com sintomas de tosse, febre ou dores musculares em casa. O encerramento dos centros de convívio de idosos e restrição de acesso aos utentes em centro de dia foram também sugeridos, com exceção aos idosos sem retaguarda familiar.

Já outros municípios da AMP ativaram planos de contenção e encerramentos dos seus equipamentos públicos.