Contrato inter-administrativo para nova Divisão da PSP Maia deve avançar até final do ano

0
290
imagem ASantos

O projeto da nova Divisão da PSP para a Maia não está atrasado e o contrato inter-administrativo deve ser assinado até final do ano, garantiu o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna na visita recente à Maia.

Em julho completou-se um ano da assinatura do protocolo entre a Câmara da Maia e a secretária de Estado adjunta e da Administração Interna (Isabel Oneto) para a cedência de um terreno do município para construção da sede da Divisão da PSP, na Rua Central do Sobreiro.

O protocolo estipula que o MAI (Ministério da Administração Interna) tem dois anos para construir este equipamento que albergará cerca de 150 agentes da PSP. Mas o processo não está atrasado, garantiu em visita à Maia, no mês passado, o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, Antero Luís.

O governante garantiu que tudo está encaminhado para assinar até ao final do ano o contrato inter-administrativo entre o MAI e a Câmara da Maia e, assim, “no próximo ano lançamos logo” a obra a concurso.

Os projetos levam o seu tempo, neste momento o projeto está a ser elaborado, não houve atraso. Esperamos que até ao final do ano esteja pronto para celebrar o contrato e lançar a obra”, explicou Antero Luís.

Ouvir declarações:

Este é um projeto de 2 milhões de euros e que irá trazer para os agentes da Maia “boas condições de trabalho”, como sublinhou na assinatura do protocolo em julho do ano passado, Magina da Silva, diretor nacional da PSP: “é completamente diferente a PSP ocupar instalações que já existem e que foram criadas com outras finalidades, como escolas ou direções gerais de vários ministérios, do que projetar de raiz uma instalação policial para o fim a que se destina, por isso, desde logo isso é uma mais valia para os próprios polícias e para os cidadãos que servem.
Basicamente, trazer para o concelho da Maia uma sede de Divisão é um marco importante, porque é o sítio onde deve estar”.