Deputada do PSD voltou a questionar ministro sobre Metro da Trofa

0
327
- Publicidade -

No dia 21, a deputada maiata Emília Santos questionou novamente o ministro do Ambiente e do Ordenamento do Território, Matos Fernandes.

A deputada do PSD voltou à carga sobre o problema da linha do Metro até à Trofa e adiantou que o seu grupo parlamentar considera desequilibradas as opções de investimento do governo para o Norte e para o Centro do país, questionando: “quero saber qual o montante de verbas previstas por este Governo para a rede de metro de ambas as regiões, para saber ao certo que valor atribuem à coesão territorial e correção de assimetrias” no Norte e no Centro…

Outra pergunta de Emília Santos: “Quais os critérios de prioridade utilizados para esses investimentos?”
E os social-democratas apontam o dedo a alguns casos que deixam dúvidas: “no caso do Porto o único critério apresentado há 15 dias atrás pelo sr. ministro terá sido a rentabilidade. O governo utilizou apenas o critério economicista esquecendo a sua pretensa matriz social”.

Emília Santos prosseguiu: “o sr. ministro foi ao Porto fazer um conjunto de anúncios, que no seu grosso, não satisfazem a população, por exemplo, a duplicação da linha do Porto entre a Casa da Música e S. Bento, que tem a ver com um critério economicista, pois só vem servir os turistas e não a população.

Anunciou num plano meramente eleitoralista a intenção de expandir três linhas, Gondomar, Hospital de S. João e Casa da Música, mas só para ter efeito num próximo governo após 2021 e só se houver fundos disponíveis”.

Por todas estas desconfianças, Emília Santos não quis deixar de lembrar as constantes promessas dos últimos governos e questionou diretamente Matos Fernandes, já no final da sua intervenção, “o que pretende fazer no que diz respeito ao Metro da Trofa, porque aqui não se trata de uma questão de números, mas de uma questão de compromisso com a população!”

Angélica Santos

- Publicidade -