Está a ser analisado cerco sanitário no Porto ou Grande Porto

0
346

O Governo e as autoridades de saúde nacionais estão a ponderar avançar com um cordão sanitário, que pode não se circunscrever apenas ao concelho do Porto. De acordo com o jornal Público, entre as várias hipóteses em estudo está a criação de uma cerca sanitária que abarque pelo menos alguns municípios da Área Metropolitana do Porto (AMP), entre eles o concelho da Maia.

Os números justificam a preocupação das autoridades de saúde pública, uma vez que apenas seis concelhos do distrito (Porto, Vila Nova de Gaia, Maia, Matosinhos, Gondomar e Valongo) somam mais de um terço do total de casos confirmados de covid-19.

A decisão estará a ser discutida entre a Direção-Geral da Saúde, o Ministério da Saúde, o Ministério da Administração Interna e a Administração Regional de Saúde do Norte.

Estão em cima da mesa vários cenários, havendo duas correntes de opinião. Uns defendem como estratégia para os próximos dias, medidas confinadas à cidade do Porto enquanto outros propõem uma decisão que abranja outros concelhos da região.

Quase todos os presidentes de Câmara afirmaram ao Público que não concordavam com o cordão sanitário.

Não é referida a opinião do autarca da Maia, mas sabe-se que António Silva Tiago já há semanas que pediu o parecer das autoridades de saúde, querendo saber se se justificava o cerco sanitário na Maia. Na altura, a DGS não considerou que fosse indispensável esta medida. Embora tenha sido numa altura em que as redes de contágio estavam todas sinalizadas. Poucos dias depois, entramos na fase de mitigação, ou seja, na existência de contágio na comunidade.