Inaugurado novo Parque em Moreira

0
444
- Publicidade -

O presidente e o vice presidente da Câmara da Maia inauguraram o Parque da Ponte de Moreira, no passado sábado de manhã, em simultâneo com a plantação de árvores, levada a efeito por escuteiros (do agrupamento 95 da Maia) e por voluntários do grupo Sonae.

Esta nova área de 32 mil metros quadrados situa-se junto à ETAR de Ponte de Moreira e bordeja o rio Leça. Trata-se de um investimento de 130 mil euros, implementado ao abrigo de fundos comunitários ao abrigo do Programa Operacional da Região Norte ON.2.

Projeto feito pelos técnicos da Câmara

António Tiago, vice presidente do executivo maiato, sublinhou que o projeto “desde a conceção à construção e manutenção, foi desenvolvido no departamento de ambiente da Câmara municipal”. A arquiteta Mariana Soares é a autora do projeto. O Parque de Moreira faz parte da rede de parques metropolitanos do Grande Porto.

António Tiago expressou os votos de que os moreirenses e os maiatos em geral “façam bom proveito deste parque onde o verde, a cor da esperança, predomina e nos inspira”.

Bragança Fernandes elogiou a obra agradecendo a todos quantos contribuíram para a sua concretização: “quando aqui entrei fiquei com os olhos em bico por ser uma coisa tão bonita e tão agradável. Portanto, parabéns a todos quantos colaboraram e contribuíram para que este espaço esteja neste estado bonito como é. Quero saudar os escuteiros e os voluntários da Sonae, que estão a plantar árvores no âmbito do programa 100 mil árvores na Área Metropolitana do Porto.”

As várias ações de plantação de árvores e arbustos por voluntários no âmbito do projeto Futuro – 100 000 AMP têm vindo a conferir maturidade ao parque, pois concorrem para o fomento da biodiversidade, ajudando no combate à erosão das margens do rio Leça.

Equipamento poderá crescer no futuro

Este Parque da freguesia de Moreira tem ainda espaço para um alargamento no futuro, adiantou Bragança Fernandes. Por um lado, existe um terreno junto a uma urbanização em frente ao parque, que pertence à autarquia. “Por razões de um processo judicial que envolve o empreiteiro daquele prédio, ainda não pudemos tomar posse do terreno”, explicou o presidente da Câmara, que acrescentou: “quando o terreno vier para a nossa posse, com certeza que é mais uma parte a juntar a este magnífico espaço”.

Por outro lado, Bragança Fernandes anunciou que tem em mente alargar o parque de Moreira para o outro lado do rio, para uma área de Matosinhos. O terreno já se encontra sinalizado e já se iniciaram conversações com o seu proprietário, bem como com os administradores da Sonae, no sentido de apoiarem esta ideia.

E mais, o presidente da Câmara da Maia, quer propor à Sonae que construa uma ligação pedonal de ligação às instalações que se situam em frente ao novo parque, aproveitando o caminho pedonal que já existe ao lado.

Bragança Fernandes anunciou que Sonae vai investir 10 milhões

Bragança Fernandes adiantou que aquele grupo empresarial vai “fazer um grande investimento aqui em frente, na ordem dos 10 milhões de euros, que irá trazer mais 600 pessoas para o centro da Maia. Neste âmbito vamos propor aos administradores que se faça uma ponte de passagem, ou aérea ou subterrânea, para que os seus trabalhadores possam passar para este parque e dele usufruírem como entenderem”.

Farinha Bastos enaltece a recuperação das margens do rio Leça

Farinha Bastos, presidente da Junta de Moreira, esteve presente e referiu ao Primeira Mão que este equipamento de lazer vem valorizar a ETAR e é também uma mais valia para embelezar o rio Leça. “Era um rio muito importante para a população de Moreira, que como eu, ainda se lembra de nadar e pescar no Leça. A minha esperança é que estas infraestrutura e requalificação das margens do rio Leça, possibilite que o rio se torne apelativo às boas práticas ligadas ao ambiente”.

Por outro lado, é de salientar a importância do parque para o usufruto da população, “especialmente tendo em conta que se situa junto a uma urbanização com uma comunidade muito grande, tenho a certeza que será um espaço que estas pessoas vão utilizar muito”, salientou o autarca da vila de Moreira.

Objetivos do parque:

Conservação da natureza;
Consolidação da galeria ripícola;
Estimulação da biodiversidade;
Aumento da oferta de espaços verdes de lazer e fruição, aproximando a população ao principal curso de água do concelho, o rio Leça, mediante a criação de uma área verde de uso coletivo, um parque linear ribeirinho.

Quatro zonas distintas

Este parque construído nas margens do Leça possui vários pontos destinados a estadia e lazer, contendo vários bancos espalhados e suporte para bicicletas.

O parque é atravessado em toda a sua extensão por um percurso pedonal devidamente formalizado, que aproxima os cidadãos ao principal rio que atravessa o concelho.

Há quatro áreas distintas em termos de conceção:

Zona 1 – Áreas de Circulação destinadas a caminhadas, corridas e passeio;
Zona 2 – Orla ribeirinha;
Zona 3 – Regeneração natural com sementeira, contendo vegetação autótone;
Zona 4 – Áreas de sementeiras destinadas ao recreio ativo

Investimento importante da Sonae na Maia

A Sonae irá investir cerca de 11 milhões de euros com vista à construção de um novo edifício de serviços na sede do grupo, que se situa na Maia. Com este investimento, o grupo pretende acolher mais 600 trabalhadores que se encontram dispersos em vários locais no Porto, totalizando assim 3100 funcionários.

Marcas como a Berg vão assim voltar ao edifício principal da Sonae. O promotor oficial do projeto é o fundo de investimento imobiliário, de seu nome Imosede. A construção arranca no verão de 2017 e deverá ficar concluída em 2019.

O edifício será amigo do ambiente, onde serão criados locais de estacionamento e recarga de veículos eléctricos, assim como parques para quem se deslocar de bicicleta. O sistema de iluminação será inovador, fazendo uso da iluminação natural, mesmo para locais menos favorecidos por esse tipo de iluminação.

Angélica Santos

- Publicidade -