JPP vai concorrer com “candidaturas isoladas” incluindo à Câmara da Maia

0
318
- Publicidade -

O Juntos Pelo Povo (JPP) vai apresentar listas nas eleições autárquicas deste ano em sete municípios da Madeira e pondera apresentar algumas candidaturas no território continental, disse à Lusa o responsável do partido.

“Vamos concorrer com candidaturas isoladas, sem coligações, em sete municípios da Região Autónoma da Madeira e está definida, neste momento, uma no continente”, na Maia, declarou Élvio Sousa.

O secretário-geral do JPP assegurou que o partido decidiu “concorrer sozinho, com listas próprias, sem coligações”, recordando que, nas últimas autárquicas, integrou a coligação Confiança, na Câmara do Funchal, e outra com o PS no continente, na Maia.

Além do JPP, a coligação Confiança no Funchal integrou PS, BE, PDR e Nós Cidadãos. Em 2018, o JPP abandonou a coligação por divergências na autarquia.

“Comparativamente a 2017 vamos restringir o número de candidatos no resto do país”, realçou ainda, adiantando que está a ser avaliada a apresentação de candidaturas em municípios do “norte, centro e sul do país, mas não estão ainda definidas”.

O também líder parlamentar do JPP na Assembleia Legislativa da Madeira referiu também que “tem havido muitas pessoas a mostrarem-se disponíveis” para integrarem as listas do partido, mas “os órgãos concelhios têm-se pronunciado pelo indeferimento, porque esses autopropostos candidatos já têm palmarés noutros partidos ou não mostram ter o perfil e desempenho em consonância com os ideais do partido”.

Ainda segundo Élvio Sousa, muitas das candidaturas ainda estão pendentes de aprovação dos órgãos concelhios, perspetivando que estejam totalmente apresentadas “em maio ou junho”.
Neste momento, acrescentou, já estão confirmadas na Madeira as candidaturas de Filipe Sousa, que se recandidata para um terceiro mandato na presidência da Câmara de Santa Cruz, Bruno Berenguer (Funchal) e Paulo Freitas (Ponta do Sol).

O JPP foi um movimento de cidadãos que surgiu na junta de freguesia de Gaula, no concelho de Santa Cruz, em abril de 2009, tendo, nesse ano, conseguido retirar a maioria absoluta que o PSD detinha desde as eleições de 1976.

Nas autárquicas de 2013, contando com o apoio de vários partidos (PS, CDS, MPT, PND e PTP), numa lista encabeçada por Filipe Sousa, o movimento conseguiu mesmo passar a governar este concelho contíguo a leste do Funchal e cinco juntas de freguesia deste município (Santa Cruz, Gaula, Camacha, Santo da Serra e Caniço).

Foi nas regionais de 2015 que o JPP se tornou num partido político, e, na sua estreia neste tipo de ato eleitoral, conseguiu eleger cinco deputados, obtendo 13.229 votos (10,34%).
Quatro anos depois, o grupo parlamentar ficou reduzido a três elementos, reunindo 7.830 votos (5,47%).

Nas últimas eleições autárquicas (2017), o JPP apenas concorreu nos municípios de Machico, Santa Cruz e Ribeira Brava com listas próprias, tendo integrado a coligação no Funchal. Em Santa Cruz elegeu seis vereadores.

Na Câmara da Maia, o JPP tem cinco dos 11 elementos do executivo camarário, que é governado pela coligação PSD/CDS-PP que tem seis vereadores.
A data das eleições autárquicas ainda não está marcada, mas por lei têm de realizar-se entre setembro e outubro.

(LUSA)

- Publicidade -