Álvaro Braga Júnior acusa PSD de “ostentação”

0
159

“Você é todo bonito. Bonitão”. O piropo, com o devido pedido de desculpas entre sorrisos, foi dirigido por uma vendedora do Mercado Municipal do Castelo da Maia, na segunda-feira, ao candidato do CDS-PP à Câmara Municipal, Álvaro Braga Júnior, durante uma arruada, numa acção de campanha conjunta das candidaturas às legislativas e autárquicas.

Esperava-se a presença do cabeça-de-lista dos populares pelo círculo eleitoral do Porto, mas Ribeiro e Castro não pode estar presente por razões pessoais e o candidato à Maia acabou por captar mais atenções que o secretário-geral dos populares e número dois pelo Porto.

 

Álvaro Braga Júnior foi prontamente identificado pelas pessoas devido as suas andanças pelo Boavista, mas também por causa do cartaz estrategicamente colocado na rua em frente ao mercado. Fazendo um balanço positivo do contacto com aos maiatos, e numa alusão aos meios de campanha de cada partido, o candidato do PP acredita que a população vai penalizar o PSD por causa da ostentação. “Encontramos gente que está muito determinada a seguir o nosso caminho, o que é muito bom, a concordar com as nossas ideias, o que também é bom e, sobretudo, a cumprimentarem-nos porque não precisamos da ostentação que o actual presidente de câmara, candidato pelo PSD, faz, que tem quase um cartaz em cada esquina, o que num momento em que as pessoas sentem tanta dificuldade é um insulto”, acusa. E acrescenta. “Creio que as pessoas não vão esquecer de penalizar essa ostentação que, de facto, serviria mais se fosse ao serviço da Câmara e não ao serviço de uma candidatura. Tenho em todo o concelho 25 cartazes, creio que quatro vezes isso tem o candidato do PSD e presidente de câmara só na freguesia de Águas Santas. É inaceitável. É um insulto às pessoas que têm dificuldades no seu dia-a-dia”.

O candidato dos populares considera que a pré-campanha tem corrido “muito bem”, sendo que têm vindo a fazer uma campanha de proximidade. “Tocamos nos pontos que efectivamente preocupam as pessoas e acredito que as pessoas tenham essa carga de simpatia, que é bom, é agradável, é sempre mais agradável ser bem do que mal recebido e acredito que isso se pode transformar em votos nas próximas eleições autárquicas”, sublinha.

Álvaro Braga Júnior diz que quer tirar “o ar soturno e preocupado” das pessoas e fazer com que a Maia volte a sorrir. Refere que algumas coisas são obviamente responsabilidade do Governo, “em alguns casos, de irresponsabilidade até com alguma incontinência verbal, mas outras coisas podem ser resolvidas pela câmara, seja directamente, seja através de uma forma de pressão que é inaceitável que a Câmara da Maia tenha deixado de fazer nos últimos anos”.

Recordou ainda que o concelho “foi criado por um homem que esteve profundamente ligado ao CDS-PP”, José Vieira de Carvalho, para criticar o actual autarca. “Desde que ele desapareceu infelizmente da cena política que a Maia tem vindo a perder capacidade de decisão, capacidade de pressão junto do poder central”. Braga Júnior acredita na eleição para a vereação e garante que vai ser uma voz reivindicativa.

CDS tem orgulho nos candidatos

O secretário-geral do CDS-PP, João Almeida, não poupou elogios aos candidatos autárquicos, dizendo que o CDS “tem orgulho” nos seus candidatos. “É o caso na Maia, em que temos um excelente candidato à Câmara, temos excelentes candidatos às juntas de freguesia e, portanto, nós não temos nenhum problema em fazer campanha conjunta. Há partidos que ou não aparecem com os seus presidentes de câmara, ou que os seus presidentes de câmara não querem aparecer com os seus líderes nacionais, não é o caso do CDS. Nós estamos todos na mesma batalha”, afirma.

O secretário-geral do PP afirmou ainda que as pessoas “já perceberam que têm uma hipótese de mudança” e que essa mudança passa pelo seu partido. “Os indicadores que recolhemos foi que as pessoas perceberam isso e estão mobilizadas para contribuir para essa mudança. Há quatro anos o CDS-PP perdeu um deputado no círculo eleitoral do Porto e o objectivo passa por recuperar esse mesmo deputado”, justificou.

Isabel Fernandes Moreira