Maia com terceira menor liquidez em 2007

0
167

No final de 2007, 195 dos 308 municípios do país apresentavam uma liquidez negativa de 685 milhões de euros. Entre eles, a Maia. Mas também em destaque as câmaras de Vila Nova de Gaia, Porto, Lisboa, Aveiro e Figueira da Foz.

É a conclusão do “Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2007”, divulgado pela Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas. Os dados revelam ainda que, em 2007, o endividamento das autarquias subiu para mais de 6,6 mil milhões de euros, sendo um terço da dívida global referente a Lisboa.

Dizer que uma autarquia apresentava liquidez negativa equivale a afirmar que, no período em causa, o valor das dívidas a pagar foi superior ao dinheiro disponível nesse município. No final de 2007, 73 municípios apresentavam um valor de dívidas a fornecedores superior a 50 por cento das receitas totais. Com a capital na liderança, a Maia foi o município com a terceira menor liquidez, registando um saldo negativo superior a 30,5 milhões de euros.

No mesmo ano, 35 autarquias foram detentoras de mais de metade do total das dívidas (53,5 %). Lisboa lidera esta lista, com o maior passivo do país, no valor de 965 milhões de euros. Bem mais abaixo, nos 268 milhões, aparece Vila Nova de Gaia, na segunda posição. Em terceiro está o Porto, com um passivo na ordem dos 177 milhões de euros, seguindo-se Aveiro, Gondomar e a Maia, na sexta posição, com um passivo superior a 105,4 milhões de euros. Ainda assim, a baixar desde 2005. Mas situando-se entre os 35 municípios mais endividados.

Apesar de preocupado com estes dados, o presidente da Câmara Municipal da Maia sublinha que a posição do município no ranking já deve ter mudado em 2008, dado o esforço da autarquia para reduzir a dívida. De qualquer forma, “temos obra”, sublinha Bragança Fernandes para justificar o facto da Maia ter terminado 2007 com o sexto maior passivo dos municípios portugueses.

Ouça as declarações de Bragança Fernandes:

[audio:ANUARIO_BF.mp3]

No mesmo anuário é abordado o endividamento líquido global – diferença entre as dívidas a pagar e as disponibilidades e dívidas a receber – que foi, em 2007, de 5 866 milhões de euros. Por grupos municipais – no caso da Maia abrangendo apenas os Serviços Municipalizados de Água, Electricidade e Saneamento (SMAES) – o município surge com o quinto maior índice de dívida líquida, ascendendo a cerca de 122 milhões de euros. Relacionando esse endividamento líquido com as receitas do ano anterior (2006), a Maia está entre os 35 municípios com os índices mais elevados, ocupando o 28º posto.

Apesar de tudo, a Maia aparece no mesmo relatório como o 11º município com maiores resultados económicos – cerca de 12,4 milhões de euros – mas com dados relativos a 2006. Mas sem que isso coloque o concelho no ranking global dos 50 melhores municípios em termos de eficiência financeira.

Marta Costa

(Notícia desenvolvida na edição desta semana de Primeira Mão)