Maia já é o 2º município mais exportador

0
326
- Publicidade -

Famalicão, Maia, Guimarães, Gaia, Santa Maria da Feira, Braga, Porto e Viana do Castelo são, por esta ordem, os municípios que mais exportaram em 2016, ano em que as empresas da região venderam para o estrangeiro mercadorias no valor de 20,5 mil milhões de euros.

A seguir ao campeão, Vila Nova de Famalicão, o município que lidera as exportações da região norte em 2016, segue-se no ranking das vendas para o exterior a Maia (7,1%), Guimarães e Gaia (6,8%), Santa Maria da Feira (6,4%), Braga (5,4%), Porto e Viana do Castelo (5,1%). Esta é uma principais conclusões do relatório ‘Norte Estrutura’, divulgado na última semana pela Comissão de Coordenação da Região Norte (CCDR-N).

Ainda de acordo com o relatório, que cruza as tendências e a evolução económica da região a médio e longo prazo, a atividade exportadora em grande parte do território “é meramente residual”, dado metade dos municípios do norte não ter exportado praticamente nada em 2016. “Mais de metade do valor das exportações de mercadorias do norte foi efetuado em oito dos 86 municípios, responsáveis por 51,5% das exportações, situados no litoral da região”, revelou Fernando Freire de Sousa, presidente da CCDR-N.

Região representa 40% das exportações nacionais

Para o líder da CCDR-N, é de salientar o desempenho da região, que representa 40% das exportações nacionais. Em 2016, as empresas com sede no norte exportaram mercadorias no valor global de 20,5 mil milhões de euros e realizaram importações de 14,7 mil milhões de euros, gerando um excedentário de aproximadamente 5,8 mil milhões de euros, segundo dados provisórios do Instituto Nacional de Estatística apresentados no relatório ‘Norte Estrutura’.

A CCDR-N aponta ainda para um crescimento médio continuado de 5,9%/ano entre 2013 e 2016, mantendo-se Espanha como principal parceiro comercial. O sector têxtil-vestuário dominou as exportações, responsável por quase um quinto do valor total das vendas para fora do país, seguindo-se a fileira de produtos da indústria automóvel e o setor florestal.

Maia lidera nas novas tecnologias

A Maia é assim um dos municípios que mais contribui para a riqueza da região e do país. Neste território a liderança assume-se ao nível das tecnologias. O presidente da Câmara, António Silva Tiago, congratula-se pelo facto de a Maia ocupar o primeiro lugar, “figurando como o concelho da Área Metropolitana do Porto com maior proporção de empresas em setores de alta tecnologia, com quase o dobro da média apurada nesta região.

E neste ranking que lidera na AMP, ocupa a 3ª posição a nível nacional”. São dados constantes do “Retrato territorial de Portugal 2017”, que o INE publicou recentemente e que o autarca da Maia entende deixar sublinhados.

De resto, “em plena era da transformação digital”, António Silva Tiago refere que a aposta do município da Maia incidirá cada vez mais num “território digital” como “caráter estratégico, na certeza de que uma gestão eficiente requer conhecimento, inovação, acessibilidade facilitada, partilha de informação e participação cívica”.

Aquando da sua tomada de posse, o presidente da Câmara, adiantou que, “num futuro próximo, dotaremos a comunidade concelhia, de ferramentas digitais que irão melhorar a acessibilidade aos serviços do Município e permitirão a partilha de informação, de forma permanente, universal e inclusiva”.

- Publicidade -