É o momento de o BE chegar ao executivo com Silvestre Pereira

0
292
- Publicidade -

O Bloco de Esquerda/Maia apresentou Silvestre Pereira como o seu candidato à Câmara Municipal da Maia, no passado dia 17. A sessão contou com a presença da coordenadora nacional, Catarina Martins, tendo decorrido no salão nobre da Junta de Freguesia da Cidade da Maia.

Silvestre Pereira tem sido o candidato à Assembleia Municipal nas últimas eleições autárquicas, desde que surgiu o Bloco de Esquerda, cuja coordenação continua a assumir no concelho da Maia. Atualmente é um dos dois deputados que compõem a bancada parlamentar do partido na Assembleia Municipal.

Para já, assumem-se duas candidaturas, a de Silvestre Pereira à Câmara Municipal, e a de Francisco José Silva à Assembleia Municipal, ele que atualmente desempenha o cargo de deputado na Assembleia de Freguesia da Cidade da Maia.

Silvestre Pereira é de opinião que a “Democracia exige um projeto moderno, inovador e de facto de resposta às necessidades das pessoas, um projeto que dê corpo a uma nova dinâmica no concelho, participada e construída pelos cidadãos da Maia! Esse é o objectivo e o desafio que, em conjunto com todos e todas, queremos implementar no concelho da Maia!”

Concelho deve ter mais equilíbrio

Em entrevista ao Primeira Mão, o candidato bloquista afirma que estamos num momento fulcral para impor algumas mudanças num concelho que se pretende “mais equilibrado” e que fomente atratividade para fixar população residente, aproveitando melhor a excelente localização da Maia, “que tem ótimas condições por estar próxima de um aeroporto, do porto de Leixões, da cidade do Porto, de muitos eixos rodoviários estruturantes”, sublinhou.

Questionado se esses fatores não têm sido aproveitados, Silvestre Pereira referiu que “devem ser ainda mais e melhor aproveitados” e que, porventura o poder instalado está já enfermo de determinados “vícios”, próprios de quem está há muitos anos na mesma cadeira com maioria.

Pela primeira vez a encabeçar uma lista à Câmara, Silvestre Pereira considera que tem sido muito importante o trabalho que o BE tem vindo a fazer na Assembleia Municipal e nalgumas assembleias de freguesia onde tem eleitos no sentido de “fazer chegar ideias ao executivo”. A candidatura agora é o corolário desse empenho dos eleitos do BE. Torna-se necessário dar uma nova dinâmica ao concelho, frisa, “distribuindo melhor os recursos no município”, que se deve tornar mais “equilibrado e inclusivo”.

A eleição de vereadores do BE será a garantia desse ponto de apoio fundamental para a mudança que é necessária, defende o candidato, dado que na cidade é notório um maior cuidado, mas as freguesias não espelham o mesmo e ainda apresentam muitas carências. Por isso, diz, “a Maia não é o oásis que se quer fazer crer”.

Habitação e transportes ainda com falhas

“A organização geográfica do desenvolvimento do nosso concelho terá de ser plasmada num PDM que defenda o equilíbrio essencial e o desenvolvimento estruturado e sustentável do nosso concelho”, argumenta o bloquista. O Bloco mantém as suas preocupações com a habitação social, “carente de novos fogos, e na urgência em reabilitar os que não têm condições de habitabilidade, como é exemplo a urbanização do Sobreiro”.

Também continua a “exigir mais e melhores transportes públicos e melhores vias de acesso, como é exemplo a alternativa eternamente adiada à EN 14. A exigir acabar com os pórticos nas vias de acesso ao concelho e ao tecido empresarial nele instalado. A lutar pela reposição dos serviços públicos encerradas, como as repartições de finanças e os centros de saúde”.

A exigência da construção de infraestruturas de apoio à infância e à terceira idade, o combate à precariedade e a promoção de um emprego com direitos, o acompanhamento dos mais carenciados através de um apoio social que não seja meramente assistencialista, estão entre muitos dos aspetos que exigem respostas concretas e urgentes, acrescentou o candidato à Câmara, que promete que vai elaborar um programa eleitoral participado. Nos próximos tempos, os elementos do BE irão auscultar as populações das diversas freguesias e recolher as suas ideias para o concelho, pelo que, sublinha, “o que vamos apresentar a sufrágio vai espelhar a vontade das pessoas para a Maia”.

Perfil

. 62 anos
. tem dois filhos e um neto
. natural de Pedrouços, Maia
. estudou no Liceu Alexandre Herculano e no ISMAI (Maia)
. empresário (ramo seguros)


Angélica Santos

- Publicidade -