Município da Maia volta a descer IMI e derrama

0
401
IMI casa

 
A Câmara Municipal da Maia decidiu descer os impostos diretos, IMI e Derrama. Com a diminuição do imposto sobre imóveis e da taxa da derrama sobre as empresas, o município afirma que «contribui para maior liquidez das famílias e empresas».

Com a descida de impostos e taxas diretos, o executivo da Maia sublinha que deixa de arrecadar em receita cerca de 4,4 milhões de euros.

O executivo decidiu assim fixar a taxa de derrama em 1,5 por cento dos lucros das empresas com um volume de negócios superior a 150 mil euros e aplicar uma taxa reduzida de 0,4 por cento para todas as empresas cujo volume de negócios não ultrapasse aquele valor.

António Silva Tiago afirma que “não hesitámos em abdicar da derrama de 2019 e em continuar a diminuir a de 2020, porque temos consciência das dificuldades por que estão a passar as empresas. Mas temos de encontrar um equilíbrio que permita à Câmara continuar a investir em áreas como a habitação social, o ambiente e a qualidade de vida, a educação, a cultura, o desporto, o recreio e o lazer, a saúde, as acessibilidades e a rede viária, entre muitas outras”.

A derrama para empresas com volume de negócios que não ultrapasse os 150 mil euros tem descido paulatinamente desde 2014, ano em que foi fixada em 1%. Este ano, esse valor será de 0,40 por cento.

Relativamente ao IMI, a Maia decidiu uma nova redução do imposto, fixando-o agora em 0,370%, o que permite continuar a desonerar as famílias maiatas, mantendo em simultâneo a saúde financeira do município. Além do mais, as famílias com 3 ou mais filhos terão uma dedução fixa de 70 euros.

A Maia aplicou até 2012 as taxas máximas legalmente previstas, tendo baixado para 0,4 por cento em 2013 e 2014 e tendo a partir de então descendo até aos atuais 0,370 por cento.

«Este percurso, feito sempre sob o signo da responsabilidade, representa que, este ano, o Município da Maia prescindirá de receitas fiscais, em benefício das famílias e das empresas, no valor estimado de mais de 4,4 milhões de euros», sublinha a autarquia maiata em nota de imprensa.

A Câmara da Maia decidiu suspender a Taxa Municipal de Turismo. Paralelamente, vai ainda ser proposta a prorrogação do prazo de isenção temporária da Taxa Complementar pela Manutenção de Infraestruturas Urbanísticas, bem como a redução temporária de 50% da TMU – Taxa Municipal de Urbanização e da Taxa por Ocupação do Espaço Público.