Passos Coelho é o novo líder do PSD

0
267


Pedro Passos Coelho foi eleito, sexta-feira, o novo presidente do Partido Social Democrata (PSD), sucedendo no cargo a Manuela Ferreira Leite. O economista de Trás-os-Montes foi o mais votado nas eleições directas do partido “laranja”. Venceu no país com 61 por cento dos votos. Paulo Rangel obteve 34 por cento, José Pedro Aguiar Branco ficou-se pelos 3 por cento e Castanheira de Barros não foi além dos 0,23 por cento.
Passos Coelho venceu também no distrito do Porto, onde conseguiu alcançar mais de 60 por cento dos votos, vencendo em 17 das 18 secções de voto. Na concelhia maiata, contabilizados os votos, o novo presidente registou 333 votos, contra 180 de Paulo Rangel e 33 de José Pedro Aguiar Branco.
O presidente da Comissão Política Concelhia da Maia do PSD, Bragança Fernandes, apoiante de Passos Coelho não escondeu a satisfação com os resultados obtidos no país e no concelho. “Os militantes souberam que eu era apoiante de Passos Coelho e seguiram a minha ideia. Se calhar pensaram que a apoiar Passos Coelho estavam a apoiar uma grande figura”. O também presidente da Câmara Municipal da Maia reitera que os três candidatos eram “bons”, no entanto, sempre defendeu que Passos Coelho “seria melhor”. E considera que os resultados obtidos falam por si.
Como presidente do PSD da Maia, Bragança Fernandes mostrou-se também satisfeito com a afluência às urnas. Estavam inscritos 748 militantes e foram votar 551. “A votação foi muito participativa, o que prova que quando há eleições as pessoas vão escolher os melhores”, acrescentou.

Rangel elegeu mais delegados

A lista liderada por Paulo Ramalho, coordenador distrital da candidatura de Paulo Rangel, para eleição de delegados ao congresso do PSD, o primeiro depois da eleição de Pedro Passos Coelho, foi a mais votada na concelhia da Maia. A eleição de delegados decorreu no mesmo dia da escolha do novo líder do PSD.
Ao contrário dos últimos congressos não houve, desta vez, nenhuma lista de consenso e apresentaram-se duas propostas. Paulo Ramalho, vereador da Câmara da Maia, e apoio de Paulo Rangel, liderou a lista mais votada, com 295 votos, elegendo quatro elementos. Nogueira dos Santos, também vereador da câmara e mandatário concelhio da candidatura de Pedro Passos Coelho registou 215 votos e garantiu dois eleitos.
Face à diferença da votação conseguida por Passos Coelho para a sua eleição e a conseguida para a eleição de delegados ao congresso, Bragança Fernandes diz que se apercebeu de alguma “confusão” e desconhecimento por parte das pessoas para identificar qual era a lista ligada a cada um dos candidatos. “Ao sair, depois de votar, percebi que as pessoas estavam mal informadas sobre quem era da lista A e quem era da lista B. Apercebi-me que havia alguma confusão”.
No 33º congresso nacional do PSD, que decorre a 9, 10 e 11 de Abril, a Maia vai ser representada pelo presidente da Comissão Política Concelhia que desta vez vai ao congresso usando a seu lugar por inerência, quatro delegados afectos a Paulo Rangel, Paulo Ramalho, Arlindo Cunha, Luís Miguel Dias e Manuel António Ferreira, e dois afectos a Pedro Passos Coelho, Nogueira dos Santos e Cândido Graça.

Isabel Fernandes Moreira