PCP recusa portagens na VCI e exige revogação de portagens nas ex-SCUT

0
157
Foto de Arquivo
- Publicidade -

 
A introdução de portagens das ex-SCUT, implementada pelo governo PS/Sócrates e mantida pelos governos seguintes do PSD/CDS e PS, confirma as consequências nefastas para as populações e para a economia que o PCP havia denunciado, afirma a Direção da Organização Regional do Porto do PCP.

Em comunicado a DORP recorda que a “região do Porto acabou cercada por vias nestas situações (A28 no Litoral, A41 e A42 no anel regional externo e A29 na zona sul). Em várias situações, não há alternativas viáveis a estradas portajadas, com o consequente aumento dos custos de deslocações das populações e de funcionamento das empresas, para lá do agravamento de injustiças e desigualdades territoriais”.

Diz o PCP que o problema é “tão evidente que, não raras vezes, na região há unanimidade na identificação desta situação como sendo injusta. Contudo esta unanimidade que alguns assumem na região não tem coerência com o que fazem na Assembleia da República”.

No último Orçamento do Estado, o PCP propôs a revogação das portagens nas ex-SCUT, que não foi aprovada pela votos contra do PS, PSD, CDS, IL e abstenção do PAN.
 
O PCP vê agora “alguns dos responsáveis pela introdução das portagens, ou pela sua manutenção” a mostrarem-se preocupados com os problemas decorrentes do tráfego na VCI promovendo discussões sobre “a deslocação de portagens, a introdução de novas portagens ou de novos pórticos”.
 
Perante esta situação, a DORP do PCP esclarece que:

“1.       Recusa a deslocação das portagens existentes para outras vias, ou introdução de novas portagens (nomeadamente na VCI), ou mesmo a introdução de novos pórticos que autarcas do PS e PSD vão promovendo.

2.       A solução para os problemas de mobilidade da região passa pela revogação dos pórticos na região e pela melhoria e reforço dos transportes públicos na região.”

- Publicidade -