Presidente da Câmara visitou Os Leais e Videirinhos de Pedrouços

0
211
Visita a Associação Leais e Videirinhos de Pedrouços
Visita a Associação Leais e Videirinhos de Pedrouços

“Coletividades são portos de abrigo em tempos de crise”, sublinhou o presidente da Câmara, Silva Tiago, no dia 10 de julho, durante a visita à Associação Os Leais e Videirinhos de Pedrouços.

O autarca da Maia, teve assim oportunidade de ver com mais atenção as instalações da Associação Os Leais e Videirinhos de Pedrouços, uma das mais antigas do concelho. A convite do presidente da Associação, José Alberto Martins, Silva Tiago observou as melhorias nas instalações da coletividade, que foi recentemente alvo de trabalhos.

Sublinhando que este foi um encontro “entre amigos”, o presidente da Câmara da Maia não poupou elogios à coletividade de Pedrouços, realçando o seu valor nas circunstâncias atuais.

“Julgo que com a pandemia que vivemos faz ainda mais sentido existirem coletividades e associações como esta, de bairro, de lugar, de rua até. Porque se tratam de excelentes instrumentos para que todos nós possamos ultrapassar esta dificuldade mundial, esta crise sem precedentes que vivemos. Este tipo de coletividades são portos de abrigo, excelentes para ajudar quem se encontre em situações de fragilidade. Toda a bondade que exista deve ser acarinhada e protegida”, referiu António Silva Tiago.

O edil maiato frisou ainda que o executivo a que preside costuma apoiar esta coletividade, tal como tem por política apoiar todas as associações do concelho, pelo que, nesta visita, deslocou-se à instituição com “uma visão humanista, de inclusão, pois nesta altura toda a ajuda é pouca e estes membros da associação são pessoas que cuidam do seu património, o que agrada à Câmara da Maia”.

Silva Tiago lembrou que nesta e noutras coletividades “a Câmara está sempre presente e, não querendo ser magnânima ou que a vejam como uma entidade que esmaga a criatividade das pessoas – aliás, sou contra isso –, mas gosto de enaltecer as pessoas e de as encorajar a que façam o seu papel de participação na atividade quotidiana da freguesia ou lugar”.

Numa altura de retoma gradual da normalidade, a associação regressou ao ativo ao fim de três meses de encerramento, e o presidente da direção, Alberto Martins, pretende recomeçar as atividades culturais, nomeadamente o teatro de revista, que é sua joia da coroa, já em outubro.

As equipas desportivas seniores da Associação, nomeadamente de futsal e de bilhar, também já treinam, cumprindo todas as diretrizes governamentais.
Alberto Martins referiu que os principais objetivos da sua nova direção são o crescimento da coletividade. Devido à pandemia houve uma certa estagnação da ação da associação, mas Alberto Martins quer que todos unam esforços pelo “crescimento” de Os Leais e Videirinhos.

Além do crescimento no que respeita a resultados no desporto e novos espetáculos em termos culturais com o teatro de revista, a associação pretende fomentar agora a formação no futsal, porque, diz Alberto Martins, “o desporto é uma mais-valia, é algo que atrai muito as pessoas a uma coletividade”.

Além das equipas de bilhar e de futsal, a associação sonha com a criação de uma equipa de basquetebol, “há aí umas luzes quanto a isso” para daqui a algum tempo, referiu o presidente da instituição.

Em futsal a equipa d’ Os Leais e Videirinhos jogou pela primeira vez de forma federada, no ano passado, e conseguiu “subir de divisão, o que é muito bom”, considerou Alberto Martins, apontando que a equipa milita agora na Honra. Este ano, já preparam a formação na modalidade de futsal.

A coletividade movimentou no ano passado cerca de 50 atletas, tendo em conta que, além da equipa federada, também participava nas competições do Torneio de Futsal da Maia, a nível concelhio.

A direção d’ Os Leais e Videirinhos de Pedrouços assume que os apoios municipais são indispensáveis ao trabalho que é feito na coletividade. Atualmente, no que respeita a condições de trabalho na sede, Alberto Martins entende que são “boas, tendo em conta o panorama geral das associações”.

Este responsável sublinha até que a associação tem conseguido ser “auto-sustentável”, mas como os seus elementos são ambiciosos e querem crescer sempre mais, há necessidade de apoios extra para as melhorias e ampliações. E, neste âmbito, torna-se “necessário ir mais além do que os orçamentos direcionados para as despesas, sendo aí que entram os apoios da autarquia”.

Nesta altura, o que a direção está a remodelar é a parte do pátio traseiro do edifício-sede, que contém um pequeno auditório ao ar livre e um pátio de lazer. Alberto Martins já fez uma intervenção, mas pretende ir mais além e tornar aquele espaço num parque, cuja utilização possa ser disponibilizada à comunidade de Pedrouços.

Durante a visita foram trocadas algumas impressões sobre a remodelação com o presidente da Câmara da Maia, que também deu algumas opiniões acerca da forma de reorganizar o espaço, dotando-o de mais zonas verdes.