Primeiro dia de aulas com novo uniforme no pré-escolar

0
518
- Publicidade -

Esta manhã de segunda-feira foi dia de início de aulas para os mais pequeninos do concelho, as crianças que frequentam o pré-escolar.

O presidente da Câmara da Maia e a vereadora da Educação deslocaram-se ao Centro Escolar da Gandra para assinalar o primeiro dia, aproveitando para apresentar o novo uniforme das crianças no concelho: uma nova bata e um panamá, que envergam o logotipo do município maiato.

Este é um investimento que envolve a sociedade empresarial, pois a Câmara da Maia contou com o apoio de duas empresas com sede no concelho: a Cerealis e a Piubelle. A primeira forneceu os panamás e a segunda ofereceu o tecido para as batas. A cargo da autarquia ficou o custo da confeção, que ascende a cerca de 16 mil euros. E assim, este ano letivo, todas as crianças do pré-escolar da Maia têm ‘farda’ nova.

O presidente da Câmara, António Silva Tiago, afirmou que o “arranque do ano letivo é entusiasmante e com uma lógica de família e de igualdade. É o que queremos transmitir com estas batas para os meninos e meninas do pré-escolar, simbolizando a igualdade e a família maiata”.

Por outro lado, o autarca não esqueceu de frisar que estes uniformes “transportam também o simbolismo e a vontade muito forte de responsabilizar socialmente as empresas. Somos muito forte no empreendedorismo, essa é a nossa praia, pelo que temos que saber utilizar bem esse potencial. Assim, chamamos os empresários de uma forma socialmente responsável a dar uma ajuda ao município e a toda a comunidade educativa”.

A vereadora da Educação, Emília Santos, também salientou a importância de estar junto dos mais pequeninos do pré-escolar, assinalando no Centro Escolar da Gandra a estreia dos novos uniformes com o símbolo do município da Maia.

Este ano, salientou ainda, “o município quer investir em projetos inovadores que promovam o crescimento e a felicidade das crianças na escola. No pré-escolar vamos ter o Inglês, o Ioga e a Música para todas as crianças a partir dos 3 anos, que se inscrevam nas atividades de complemento de apoio à aprendizagem, a partir das 15h30. É uma inovação com o projeto LUDI+ MAIA, em parceria com a Escola Superior de Educação do Porto”.

E prosseguiu: “vamos ter também as oficinas de Ciências experimentais, oficina de exploração, enfim, muitas atividades para todos eles. Quero destacar ainda no 1º ciclo uma atividade maior, a Filosofia para crianças, além das Ciências experimentais, algo muito importante para promover o raciocínio dos mais pequeninos (dos 6 aos 10 anos). Trata-se do projeto CRIA+, no contexto do Masterplan da Educação da Maia”.

A vereadora salientou que “é importante não só que haja projetos que promovam o bom resultado das notas dos alunos, mas que promovam um estado de felicidade das crianças enquanto estão na escola, estado que transportam para casa. É para isso que trabalhamos”.

O primeiro dia de aulas, a 17 de setembro, incluiu também uma visita à EB 2,3 da Maia, uma das três escolas EB 2,3 a serem intervencionadas com apoio de fundos comunitários.

De acordo com Emília Santos, neste ano letivo 2018/19 o município tem obras lançadas no valor de 10 milhões de euros para a requalificação de escolas do 1º, 2º e 3º ciclos e secundário.

Além dos aspetos já referidos, a vereadora destaca que foi feito um reforço de recursos humanos com admissão de 16 assistentes operacionais nos estabelecimentos de pré-escolar e escolas do 1º ciclo e que a Câmara da Maia mantém o “apoio ao nível da ação social escolar: refeições, cadernos de apoio, material escolar, transporte e vai atribuir aos Agrupamentos Escolares um subsídio excecional para visitas de estudo”.

Uma das marcas fundamentais do Masterplan para a Educação na Maia é a defesa da Educação como “desiderato coletivo, não esquecendo que é preciso uma aldeia inteira para educar uma criança. Assim, a prioridade é apontada para a educação pré-escolar”. Objetivo traçado é “a promoção do sucesso escolar; a finalidade: educação do sec XXI”.

No final da visita, o Primeira Mão ouviu ainda o presidente da FAPEMAIA (Federação das Associações de Pais da Maia), António Lopes Marinho, que se mostrou “satisfeito” com todo o projeto que tem vindo a ser apresentado por esta Câmara. Reconhece que “há naturalmente sempre coisas a melhorar, no entanto, pelo que temos visto, denoto por parte da autarquia uma grande preocupação em encontrar as melhores soluções para o edificado das nossas escolas, pelo que diria que sim, que estão reunidas todas as condições para o ano escolar decorrer dentro da normalidade”.

António Lopes Marinho refere que tem “acompanhado as obras que vão sendo feitas no parque escolar e observado uma resposta positiva nas empreitadas, como por exemplo, a que visitamos na EB 2,3 da Maia, que é conduzida por um pequeno empreiteiro, por isso, um rosto sempre solícito e cumpridor de prazos. Por este exemplo, diria que as obras decorrem a bom ritmo e dentro dos prazos”.

E salientou que registou com agrado, na visita às obras da EB 2,3 da Maia, “a disponibilidade do Sr. presidente da Câmara para contribuir em obras não previstas na empreitada, que é o caso de melhorias necessárias no pavilhão desportivo e respetivos balneários. Enaltecemos esse empenho e atenção que é dada, pois a autarquia vai prosseguir com essas obras a par da empreitada da melhoria das salas de aula, que já se encontra em andamento”.

- Publicidade -