Programa de Saúde Escolar da Maia dá prioridade à prevenção

0
331
- Publicidade -

Na passada quinta-feira, pelas 15h30, nos Paços do Concelho da Maia, foram assinados os protocolos no âmbito do Programa Municipal de Saúde Escolar (PMSE).

O Programa cumpre neste ano letivo 13 anos de existência, «fazendo do concelho da Maia um pioneiro nacional nas preocupações de saúde ao nível autárquico», refere a autarquia em nota de imprensa.

Tendo começado apenas com dois projetos (em 2005), o PMSE conta já com 11 Projetos de Saúde para o 1º ciclo e mais 6 workshops para o 2º e 3º ciclo. Estão abrangidas todas as escolas da rede pública do 1º ciclo, Infantários da Santa Casa da Misericórdia da Maia e as IPSS a operar na Maia.
  

Programa atua na prevenção

Este Programa, de que o município da Maia se orgulha, atua principalmente na fase mais primária da saúde: a prevenção.
“É a prevenção que nos ajuda a criar uma sociedade mais saudável, começando nas crianças, e contagiando positivamente os adultos”, afirma Emília Santos, vereadora responsável pela Educação e Saúde.

Diversas figuras públicas apadrinham os projetos, cara conhecidas como o chef Hernani Ermida (educação alimentar), a estilista Katty Xiomara (prevenção solar), a atleta olímpica Fernanda Ribeiro (educação postural), o piloto de Renato Pita (prevenção rodoviária) são algumas das caras deste projeto. O FC Porto é o embaixador para todos os projetos lançados.

“uma aposta de excelência”

A Saúde Escolar no município vai continuar a ser “uma aposta de excelência”, frisou o presidente da Câmara Municipal aquando da sua intervenção, que serviu acima de tudo como forma de enaltecer o empenho de todos os participantes, padrinhos e embaixadores no programa.

António Silva Tiago deixou uma palavra muito especial às Juntas de Freguesia e seus presidentes, “são vários os que aqui estão, o que é sinal que se identificam muito com tudo isto, com o pulsar das suas freguesias, as suas geografias físicas e humanas, das quais têm responsabilidade”.

António Silva Tiago acrescentou: “este executivo que lidero vai apoiá-los ainda mais, vamos ser mais generosos, tanto quanto pudermos, porque gostamos que os presidentes sejam eficazes, que produzam as suas responsabilidades de forma eficiente e as assumam por inteiro. Para isso precisam de meios e o que pudermos disponibilizar vamos fazê-lo. Gosto de trabalhar assim em parceria com os meus colegas de executivo e com os senhores presidentes de Junta, e assim faremos.”

Emília Santos assumiu o seu primeiro ato público como vereadora da Educação, tendo agradecido aos pequenos “Zé e Maria”, que representaram na cerimónia toda a comunidade estudantil, para “quem trabalhamos arduamente todos os dias”, referiu Emília Santos.

“nosso compromisso é trabalhar com as pessoas”


Além das instituições intervenientes, padrinhos e embaixadores, Emília Santos deixou um reconhecimento ao ACES Maia/Valongo, salientando que “sem vocês este programa não existiria nem teria o sucesso que hoje tem. Não é só o município da Maia que está grato, mas acima de tudo toda esta geração que aqui passou ao longo de 13 anos que está grata”.

A vereadora afirmou que a “Educação, de mãos dadas com a Saúde, é e continua a ser uma prioridade, afinal, o nosso compromisso é trabalhar com as pessoas, com a rede de instituições, esta é a base para que tudo corra bem. O nosso compromisso é de articulação permanente e absoluta e a partir daqui vamos construir muito”, frisou Emília Santos.

E prosseguiu: “Todos queremos ter as melhores escolas do país, queremos escolas que incluam e não que discriminam; queremos universalizar o acesso à Educação para a Saúde em meio escolar – começamos no 1º ciclo, estamos no 2º e no 3º e, quem sabe, no próximo ano já não estamos no secundário? -; queremos fazer rastreios de audição e visão à entrada do 1º ciclo, pois quanto mais cedo diagnosticarmos problemas que contribuam para as dificuldades de aprendizagem, dos alunos, melhor; queremos uma escola que acarinhe e que ensine a brincar, pois uma criança que não brinca não consegue aprender”, referiu a vereadora da Educação.

Temos que trabalhar para o futuro, por isso, frisou, “queremos uma escola que prepare os nossos jovens para a vida e para o futuro, uma escola capaz de fomentar a entreajuda e a solidariedade, que os incentive a fazer escolhas individuais conscientes e responsáveis, sendo capaz de criar ambientes facilitadores de espírito crítico para o exercício de uma cidadania ativa”, concluiu Emília Santos.

- Publicidade -