PS Maia cria Observatório de Dinâmicas

0
249

LogoCPC2012teste16

O Partido Socialista (PS) da Maia criou um Observatório de Dinâmicas. A ferramenta surge na sequência da aprovação por parte da Comissão Política Concelhia da criação de uma Plataforma de Debate e Inovação para a Maia (PDIM) com o intuito de criar um espaço de estudo, reflexão e debate das propostas políticas do PS Maia. O secretariado do PS, autor da proposta, pretende ainda promover um espaço de cidadania que mobilize a sociedade maiata em torno de debates sobre o município.

Em comunicado, o PS adianta que o“Observatório de Dinâmicas” será uma estrutura permanente de investigação e apoio técnico, constituída por cidadãos que “de forma livre, aberta e sem exigência de compromisso político partidário” pretendam propor e contribuir para a discussão e construção de propostas políticas para a Maia.

O “Observatório de Dinâmicas”, que vai ser coordenador por António Leite Ramalho, vai dividir a sua actuação em grupos de trabalho. António Leite Ramalho tem 43 anos, vive na Maia, e é licenciado em Planeamento Regional e Urbano e Mestre em Planeamento e Projecto do Ambiente Urbano.

O presidente da Comissão Política considera que a escolha de António Leite Ramalho assegura vários objectivos. Mas, acima de tudo, acrescenta, garante “a criação de um espaço de estudo e de trabalho das propostas do PS, com a participação alargada da sociedade civil”. Para Marco Martins, o facto do coordenador partilhar a visão de que a Maia tem potencialidades que não estão a ser devidamente aproveitadas e que podem ser marcas diferenciadoras do concelho no contexto da Área Metropolitana do Porto e Norte do País, “reforçaram positivamente a decisão da escolha”.

A mesma nota adianta que este é um primeiro passo do trabalho “de afirmação” que os socialistas pretendem desenvolver nos próximos anos, a pensar nas eleições autárquicas de 2017 e na apresentação de um projecto “alternativo de poder para o concelho”.

Na mesma reunião foi ainda aprovado o Grupo de Políticas Locais Integradas “10 em Rede”, com o objectivo de assegurar uma adequada coordenação entre os eleitos locais e as estruturas directivas do partido, para definir, em conjunto, a política autárquica a seguir. E para reavaliar e apresentar uma nova proposta de reorganização territorial da acção do PS, a comissão política aprovou ainda a criação de um grupo de trabalho que, no prazo de 180 dias, deverá apresentar uma proposta de reorganização das estruturas de base do PS, promovendo a sua adequação às novas realidades territoriais do concelho.